Homicídios em Campinas crescem 15,9% neste mês

O número de homicídios ocorridos em janeiro deste ano em Campinas, até esta segunda-feira de manhã, já é 15,9% maior que o de janeiro do ano passado, com base em boletins de ocorrências registrados na Polícia Civil. Foram 44 casos em janeiro de 2002 e 51 neste mês. A informação reverte a queda registrada entre 2001 e 2002.A Polícia Militar informou que registrou até 19 de janeiro deste ano 38 assassinatos em Campinas. Em janeiro de 2002 foram 40 casos e, no mesmo mês de 2001, 41. Os números indicam que os registros serão maiores no primeiro mês deste ano, mas a PM alegou que o levantamento ainda não está concluído.O delegado seccional de Campinas, Miguel Voigt, também argumentou que o balanço de janeiro de 2003 não está disponível. Mas reconheceu que há ?uma tendência de aumento?. Para o delegado, é ?muito difícil? que haja queda nesse tipo de ocorrência todos os anos.?É impossível acabar com o crime de homicídio, ainda mais em uma grande cidade como Campinas?, disse Voigt. De acordo com ele, a vida noturna, o consumo de álcool, de entorpecentes e o calor, que leva as pessoas às ruas, contribuem paraaumentar a incidência de crimes.Ele acrescentou que roubos e furtos de veículostambém deverão ser maiores em janeiro deste ano, comparado com 2002. Mas não citou números. O delegado apontou que as rondas unificadas com revezamento entre as polícias Civil, Militar e a Guarda Municipal e o patrulhamento intensivo nos pontos de maior incidência de crimes são algumas das medidas adotadas na cidade para tentarreduzir homicídios e outras ocorrências policiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.