Homossexual traído corta pênis de amante

O homossexual Cícero Laurindo de Farias, 30 anos, está foragido desde a noite da última quinta-feira, acusado de ter cortado o pênis de seu amante, Edson Custódio da Silva, 24, durante uma crise de ciúmes. O fato ocorreu por volta das 18 horas no loteamento Tabajara, periferia do município de Rio Largo, a 36 quilômetros de Maceió. Segundo os primeiros levantamentos dos agentes da Delegacia de Rio Largo, Cícero Laurindo teria flagrado Edson Custódio com outro homossexual da cidade, cuja identidade não foi revelada pela polícia. Sentindo-se traído, Cícero sacou uma faca peixeira e decepou o pênis do companheiro.Além disso, Edson Custódio ainda teria sido esfaqueado o parceiro no abdômen. A vítima foi socorrida por uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levada para o principal Pronto-Socorro de Maceió. O jovem levou o pênis na ambulância para que o órgão genital seja reimplantado.Edson foi submetido a uma cirurgia de reconstituição peniana, mas os médicos disseram que ainda é cedo para dizer se ele conseguirá recuperar todas funções do órgão. No entanto, no último boletim médico divulgado informava que o estado de saúde do paciente era estável e, apesar dele ter perdido uma grande quantidade de sangue, não corria risco de morrer.Segundo o chefe de operações da Delegacia de Rio Largo, Marcos Bartolomeu, foram feitas diligências durante toda madrugada de hoje em povoados da cidade, mas Cícero Laurindo não foi capturado. Um ex-amante do acusado, Antônio Severino da Silva, 35 anos, prestou depoimento e afirmou que Cícero Laurindo era um homem ciumento e que já havia feito ameaças semelhantes quando convivia com ele.Crime passionalO delegado de Rio Largo, Marcílio Barenco, instaurou inquérito policial para apurar o caso. Ele aguarda a liberação dos médicos para ouvir o depoimento de Edson Custódio. "A linha de investigação adotada é a de crime passional, já que a vítima foi agredida ao ser flagrada pelo acusado com outra pessoa", ressaltou.Barenco disse ainda que Cícero Laurindo deverá ser indiciado pelo crime de lesão corporal gravíssima e, se condenado, pode pegar até oito anos de prisão, além de multa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.