Horário de verão acaba à meia-noite deste sábado

Os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País deverão atrasar seus relógios em uma hora a partir da meia-noite deste sábado, 24, quando termina o horário de verão. Iniciado no dia 5 de novembro do ano passado, a edição 2006/2007 do horário de verão vigorou por 112 dias nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. Diferentemente de anos anteriores, dessa vez o horário de verão começou em novembro, e não em meados de outubro, para que a mudança nos relógios não atrapalhasse o funcionamento das urnas eletrônicas na eleições presidenciais. O governo estima que esta edição do horário de verão proporcionou uma redução do consumo de energia no horário de pico, entre as 19h e 22h, de 4%, ou 1.480 megawatts (MW), nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do País. Esse montante de energia equivale a duas vezes o consumo de Belo Horizonte no horário de pico. Na Região Sul, a redução do consumo no horário de ponta ficou em aproximadamente 4,4%, ou 440 MW. Essa energia é suficiente para abastecer, também no horário de pico, 60% da demanda de Porto Alegre. A redução da demanda no Sul e no Sudeste/Centro-Oeste está em linha com as estimativas iniciais do governo, que antes do início do Horário de Verão calculava que a redução da demanda no horário de pico ficaria entre 4% e 5%. Consumo de energia A principal função do horário de Verão é reduzir o consumo de energia entre o fim da tarde e o começo da noite, fazendo com que a luminosidade natural do Verão, que já é normalmente maior, possa ser aproveitada por mais tempo. Com isso, o sistema elétrico opera com mais folga, o que minimiza os riscos de sobrecarga e interrupções no fornecimento de energia. Além disso, a redução do consumo proporcionada pelo Horário de Verão faz com que o País precise usar menos energia de usinas termelétricas para suprir a demanda do horário de pico. A estimativa do governo é de que a mudança no horário fez com que os consumidores das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste deixassem de gastar cerca de R$ 50 milhões com a compra de energia gerada por térmicas. Transportes Para não atrapalhar quem vai viajar de avião bem no período da mudança, as companhias áreas orientam os passageiros a telefonar para as empresas e confirmar o horário do embarque. De qualquer forma, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), todos os bilhetes referentes à madrugada, manhã e tarde de domingo já foram emitidos com os novos horários. Com o fim do horário de verão, os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) funcionarão até a segunda meia-noite do sábado, 24. Os centros de controle operacionais e as demais áreas técnicas da empresa estão preparados para a alteração do horário, que irá gerar viagens extras, estendendo a circulação por mais 60 minutos. No Metrôs, os usuários também ganharão uma hora a mais para viajar nos trens que circulam pelas linhas 1/azul (Jabaquara - Tucuruvi), 2/verde (Imigrantes - Vila Madalena), 3/vermelha (Corinthians/Itaquera - Palmeiras/Barra Funda) e 5/lilás (Capão Redondo - Largo Treze). Como os relógios serão atrasados em uma hora à meia-noite do sábado, as 54 estações metroviárias em operação permanecerão abertas para embarque por uma hora a mais. Com a mudança, a oferta de viagens será maior.

Agencia Estado,

24 Fevereiro 2007 | 12h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.