Horário de verão começa neste fim de semana em 10 estados

Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste adiantam os relógios em uma hora; medida vai até 15 de fevereiro

Da Redação,

17 Outubro 2008 | 09h40

O horário de verão começa neste fim de semana em 10 estados brasileiros. A partir da 0 horas do domingo, 19, os relógios das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem ser adiantados em uma hora. A mudança vale para a população dos estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.   Veja também: Locais onde vigora o horário de verão  Bancos vão abrir mais cedo nos Estados sem horário de verão Alteração incomoda 46% dos brasileiros, diz pesquisa Horário de verão começará sempre no 3º domingo de outubro   O principal objetivo do Horário de Verão é desobstruir o sistema elétrico nos horários de maior consumo, entre o fim da tarde e o início da noite. A mudança nos relógios faz com que a luz natural, que nessa época do ano já é mais intensa, seja aproveitada por mais tempo, reduzindo o consumo de energia.   A medida dura cerca de quatro meses e termina no dia 15 de fevereiro de 2009. Segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), durante este período, deve haver uma redução em cerca de 2 mil megawatts. No ano passado, de acordo com informações do ONS, a redução do consumo de energia nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste foi de 1.557 megawatts, o que representa 4,2% do consumo total nessas áreas.   Já na Região Sul, a redução foi de aproximadamente de 480 megawatts, o equivalente a 4,8% do consumo. Ainda segundo o ONS, entre o fim de 2007 e o início de 2008, a economia gerada durante os 126 dias de duração do horário de verão foi de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 1,7 bilhão).   Previsão   O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão responsável pela gestão do sistema elétrico do País, estima que a edição 2008/2009 do Horário de Verão vai proporcionar uma redução no consumo de energia de 4% a 5% no chamado horário de pico, que, em geral, vai das 19h às 22h. Isso equivale a uma economia de 2 mil megawatts (MW). Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste (que, do ponto de vista do setor elétrico, são uma só) a diminuição do consumo no horário de maior carga deverá ser de 1.790 MW, o equivalente à demanda de uma cidade de 5 milhões de habitantes.   Na região Sul, a expectativa do governo é de que o consumo no horário de pico caia em 528 MW, o bastante para suprir uma cidade de 1,5 milhão de habitantes.    Mudanças   Com o horário de verão, tanto a rede do Metrô da cidade de São Paulo quanto a da CPTM funcionarão normalmente até as 2 horas, pelo horário novo (normalmente os serviços funcionam até a 1 hora). Em caso de dúvida, o usuário deve se orientar pelos relógios das estações. Uma equipe de 28 funcionários vai ajustar mais de mil relógios das estações do Metrô, da CPTM e de ônibus metropolitanos.   Segundo a SPTrans, os ônibus circularão normalmente e quem utilizar o bilhete único não irá perder uma hora, já que o sistema foi programado para que os usuários não tenham problemas.   Viagens   Nos terminais rodoviários da capital não haverá problemas. Ônibus com partidas previstas até 23h59 do sábado sairão no horário antigo. A partir da 1 hora de domingo sairão ajustados ao novo horário. Segundo a Socicam, empresa que administra os terminais rodoviários da cidade de São Paulo (Barra Funda, Jabaquara e Tietê), não foram emitidas passagens para a data 19/10/2008 com horário de embarque entre 0h e 0h59.   Para quem vai viajar de avião, a orientação da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), que administra os aeroportos brasileiros, é que os passageiros que tenham vôos programados para o horário de transição, entre 0h e 1h de domingo, entrem em contato com as companhias aéreas.    (Com Leonardo Goy, do Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:
horário de verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.