Horário de verão fez País economizar R$ 4 bilhões

Quem mora nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste terá de atrasar seus relógios em uma hora à meia-noite de amanhã, quando termina o horário de verão. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse ontem que a edição 2008-2009 registrou uma economia para o País de aproximadamente R$ 4 bilhões, equivalentes a cerca de 2 mil megawatts de energia, desde que o horário alternativo entrou em vigor, no dia 19 de outubro.A energia economizada no Sudeste corresponde a cerca de 65% do consumo da cidade do Rio em todo esse período. No Sul, a economia significa cerca de 80% do consumo de Curitiba. "Na média, o consumo de energia caiu 4% no horário de pico, entre 18 e 21 horas", disse o ministro. A região que mais economizou, entre 18 e 20 horas, foi o Sul - 85% de economia.Lobão disse que a prática do horário de verão é uma medida que funciona e traz economia para o povo e para o governo. Na medida em que consumimos menos energia, nós estamos deixando de ter térmicas, ainda que em escala pequena, funcionando", ressaltou. "Eu sei que o horário de verão incomoda um pouco as pessoas. Quando ele inicia, mudam um pouco os costumes e principalmente a rotina, mas é uma medida necessária para economizar energia".De acordo com ele, para atender toda a população brasileira sem o horário de verão, seria necessário produzir anualmente 14 mil megawatts e hoje a geração do País está em torno de 10 mil megawatts. Lobão reiterou, porém, que o Brasil não sofre riscos de um novo apagão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.