Horário de verão termina à meia-noite deste sábado

Para os paulistanos, a volta ao horário normal significará uma hora a mais para usar o transporte público

Evandro Fadel, de O Estado de S. Paulo,

15 de fevereiro de 2008 | 12h36

O horário de verão termina à meia-noite deste sábado, 16, zero hora de domingo. Depois de 126 dias, chegará o momento de atrasar os relógios em uma hora em dez Estados do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Distrito Federal. A meta do governo federal, de economizar 2 mil megawatts desde 14 de outubro, foi atingida.   Para os paulistanos, a volta ao horário normal significará uma hora a mais para usar o transporte público. Todos os ônibus, trens ou estações do metrô que estiverem em funcionamento à meia-noite estenderão o horário de operação.   O Operador Nacional do Sistema Elétrico estima redução do consumo de energia nos horários de pico - das 17h30 às 20h30 - de 4,2% no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste e de 4,8% no Subsistema Sul. O País economizou 1.557 megawatts no Sudeste/Centro-Oeste, que equivalem a 60% da demanda de energia elétrica da cidade do Rio. No Subsistema Sul, a economia de 480 megawatts poderia abastecer 80% de Curitiba.   A economia de energia ocorre principalmente porque, durante a vigência do horário de verão, a iluminação pública começa a ser utilizada mais tarde. Além dessa economia no período, o Operador Nacional do Sistema ressaltou a diminuição da necessidade de geração térmica, redução do carregamento de linhas de transmissão, maior tempo para serviços de manutenção, entre outros ganhos.   Um dos Estados com maior economia de energia foi o Paraná, onde a redução chegou a 5,5%, acima da média dos dois subsistemas. "O alívio na operação do sistema paranaense corresponde à desativação temporária de uma carga próxima de 220 megawatts", disse a engenheira do Centro de Operações do Sistema Elétrico da Copel, Christina Courtouke.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.