Hospitais de Alagoas usavam medicamentos vencidos

Procon do Estado autuou quatro unidades, que devem receber multa que varia de R$ 600 a R$ 6 milhões; foram apreendidos 597 medicamentos e equipamentos fora do prazo de validade

Carlos Nealdo, Especial para o Estado

02 Setembro 2013 | 18h57

MACEIÓ - Quatro hospitais de Maceió foram autuados nesta segunda-feira,2, pelo órgão de defesa do consumidor de alagoas (Procon-AL) por uso de medicamentos fora do prazo de validade. Após inspeção, ficou constatado que o Hospital Santo Antônio, Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora de Fátima, Hospital Alerta Médico e Sanatório Hospital Geral guardavam remédios e outros objetos vencidos em suas farmácias.

Ao todo, foram apreendidos 597 medicamentos e equipamentos vencidos, entre eles sondas uretrais, cateteres intravenosos, agulhas, sulfato de morfina, paracetamol e lidocaína, medicamento usado em pacientes pós-infartados. Foram apreendidos também amostras do anestésicos Xylestesin, e de Glutaron, usado para desinfecção e esterilização de instrumentos cirúrgicos.

Segundo o Procon-AL, as quatro instituições podem receber multa que variam de R$ 600 a R$ 6 milhões, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor. Dois dos quatro hospitais - Nossa Senhora de Fátima e Sanatório - apresentaram defesa alegando que antes de utilizar os medicamentos nos pacientes, verificam o prazo de validade do produto.

Mais conteúdo sobre:
alagoasmedicamentosprocon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.