Hospital de Campanha será montado em Santana do Mundaú nesta tarde

Infraestrutura foi enviada pelo governo do Rio de Janeiro; unidade tem capacidade para realizar 300 atendimentos por dia

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

23 de junho de 2010 | 13h25

SÃO PAULO - O hospital de campanha, com uma área de 240 metros quadrados, enviado pelo governo do Rio de Janeiro, será montado na tarde desta quarta-feira, 23, em Santana do Mundaú, em Alagoas.

 

Veja também:

linkNúmero de mortos no NE sobe para 44

linkProdutos doados às vítimas em AL têm isenção de ICMS

linkChuva deve continuar em Pernambuco e Alagoas

 

Os 18 militares do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro (CBM/AL) chegam ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares por volta das 14 horas e em seguida eles irão viajar para Santana do Mundaú, onde toda a infraestrutura será montada.

 

Segundo o superintendente de Atenção à Saúde, Vanilo Soares, a unidade tem capacidade para realizar 300 atendimentos por dia e, para isso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) irá disponibilizar toda a infraestrutura necessária para que médicos, enfermeiros e pessoal de apoio prestem atendimento ágil aos desabrigados e desalojados.

 

Entre os profissionais, estão quatro médicos, seis enfermeiros e quatro técnicos de enfermagem. De acordo com o médico do CBM/RJ, major Edson Gonçalves, o Hospital de Campanha terá seis leitos de observação, um leito de sala vermelha, em forma de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para atender pacientes mais graves, além de um laboratório e eletrocardiógrafo.

 

Seis técnicos do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) do Rio de Janeiro também virão a Alagoas, para ajudar na detecção de doenças de veiculação hídrica, causadas pela água contaminada.

 

Na terça-feira, 22, desembarcou em Alagoas uma equipe de São Paulo. Três médicos e quatro enfermeiros, além de 30 militares, já estão em Branquinha para atuar no socorro às vítimas das enchentes.

Tudo o que sabemos sobre:
AlagoasPernambucochuvashospital

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.