Hospital é fechado por falta de higiene

A Diretoria Regional de Saúde (DIR - 12) de Campinas começou hoje a fazer transferência de todos os 250 pacientes do Hospital Psiquiátrico de Várzea Paulista. Em inspeção realizada ontem, os técnicos identificaram falta de higiene e de cuidados aos atendidos, além da ausência de uma proposta terapêutica.A direção do hospital diz que uma greve realizada pelos funcionários na última semana desestabilizou a instituição que, sem os pacientes, pode vir a fechar as portas. Dentre as irregularidades apontadas pelos fiscais da DIR estão pacientes com fezes e vômito na cama, gente correndo risco de vida e alimentos deteriorados. "Era o caos absoluto", disse a diretora de Planejamento da DIR, Regina Lara Campos. A diretoria, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) paga ao hospital uma diária de R$ 24,24 para cada paciente atendido. Com a crise na instituição, o número de pacientes foi reduzido de 400 para 250. Diante do quadro de abandono encontrado pelos fiscais na última inspeção, a DIR determinou a transferência dos 250 pacientes para outras instituições e hospitais. Parentes dos familiares protestaram, porque terão de viajar para municípios mais distantes. A diretoria de Saúde diz que o importante é garantir o bem-estar dos doentes. O hospital de Várzea Paulista defende-se alegando que as condições precárias encontradas pelos fiscais foram causadas pela greve recente. Sem o convênio com o SUS, a instituição pode ser fechada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.