Hospital nega negligência na morte de bebê

O Hospital Estadual de Atendimento Infantil Cândido Fontoura, situado na Mooca, zona leste de São Paulo, nega que tenha havido negligência médica na morte de uma menina de apenas 11 meses. O caso aconteceu durante a madrugada desta quinta-feira. A menina foi levada ao hospital por volta das 22h00 de ontem e apresentava queixa de vômito e tosse. Os familiares garantem que a criança faleceu antes mesmo de receber qualquer atendimento.A dra. Telma Atizani, diretora-substituta do hospital, declarou que a menina foi prontamente atendida, medicada e ficou em observação. Segundo a médica, foi nesse período que o estado de saúde dela se agravou e, quando já estava na sala de emergência, sofreu uma parada cardíaca, vindo a morrer. Telma desmentiu a versão dos parentes segundo a qual a menina faleceu por volta das 3h30 sem sequer ter sido examinada. Ela foi taxativa ao afirmar que os familiares foram avisados sobre todos os procedimentos que haviam sido adotados no tratamento do bebê. O corpo da garota já foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito, que vai determinar a real causa da morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.