Ibope indica vitória de Dilma no 1º turno

Pesquisa mostra que intenção de voto em petista chega a 55% dos votos válidos

Daniel Bramatti, José Roberto de Toledo / ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2010 | 00h00

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff (PT), se mantém com 55% dos votos válidos e ganharia no primeiro turno se a eleição fosse hoje, segundo pesquisa Ibope divulgada ontem.

O levantamento, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), indica que Dilma não perdeu eleitores nos últimos dias, diferentemente do que apontou o instituto Datafolha anteontem.

Em relação aos votos totais, a petista tem 50%, mesmo índice da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo concluída no último dia 24. O tucano José Serra (PSDB) oscilou um ponto porcentual para baixo, de 28% para 27%, enquanto Marina Silva (PV) passou de 12% para 13%.

Outra pesquisa divulgada ontem, do instituto Sensus, também mostrou Dilma com 55% dos votos válidos - os efetivamente direcionados aos candidatos, excluídos nulos e em branco.

Para conquistar a Presidência já no próximo domingo, a petista precisará de, no mínimo, 50% mais um dos votos válidos.

Segundo o Ibope, a quatro dias da eleição, Dilma lidera em todas as regiões do País. No Nordeste, ela tem o dobro de intenções de voto em relação aos adversários somados (63% contra 31%).

O principal reduto de Serra é a Região Sul, onde obtém 35% das preferências. Ainda assim, está nove pontos atrás da principal adversária.

Marina alcançou 15% nas Regiões Sudeste e Norte/Centro-Oeste - índice insuficiente para ameaçar Serra na segunda colocação. O tucano, nas duas regiões, aparece com 26% e 29%, respectivamente.

A performance da petista é melhor nos municípios pequenos, com menos de 20 mil eleitores, onde alcança 53% das intenções de voto. Nas cidades com mais de 100 mil votantes, seu índice é de 48%.

Renda e gênero. Quanto menor a renda do eleitorado, maior a parcela de simpatizantes da candidata governista. Dilma tem 64% das preferências entre os brasileiros com renda familiar de até um salário mínimo. Na faixa de ganhos mais altos, acima de dez salários, o apoio à petista cai para 27%.

O segmento de renda mais alta é o único em que Dilma não lidera de forma isolada - ela está empatada tecnicamente com Marina 29% e atrás de Serra (33%).

Na divisão do eleitorado por gênero, Dilma se sai melhor entre os homens (52%) que entre as mulheres (49%).

Dilma tem 44% das intenções de voto na pesquisa espontânea - aquela em que os eleitores manifestam suas preferências antes de ler a lista de candidatos. Do total de eleitores da petista, 86% a citam espontaneamente.

Já Serra aparece com 22% na espontânea - ou seja, menos de oito em cada dez dos eleitores do tucano manifestam o voto antes de ler seu nome em uma lista.

Caso ocorra um segundo turno entre PT e PSDB, Dilma aparece como favorita - venceria por 55% a 32%. Contra Marina, a petista ganharia por 56% a 29%.

Sensus. Segundo a pesquisa Sensus divulgada ontem, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Dilma teria hoje 48% dos votos. Serra e Marina aparecem com 26% e 12%, respectivamente.

A expectativa de vitória de Dilma vem aumentando desde o fim de julho, quando era de 47%. Agora, três quartos do eleitorado acredita que ela será a sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Sensus também mediu a aprovação ao governo Lula. Para 79% dos eleitores, a gestão é ótima ou boa. Apenas 4% consideram o governo ruim ou péssimo. O índice de aprovação é o mais alto da série histórica de pesquisas do instituto.

O Estado arredondou os dados do Sensus, que foram divulgados com uma casa decimal depois da vírgula.

Dados técnicos

A pesquisa CNT/Sensus (registro no TSE número 33.103/2010) foi realizada entre os dias 26 e 28.

E a pesquisa CNI/Ibope (registro no TSE número 33.162/2010), de 25 a 27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.