ANDRE DUSEK / ESTADAO
ANDRE DUSEK / ESTADAO

Ida de ministro da Justiça a Roraima é cancelada

Temer entrou em contato com governadora do Estado, que teria dito que 'tudo estava sob controle'

Erich Decat, Isadora Peron e Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2017 | 15h53

BRASÍLIA - A ida do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, a Boa Vista (RR) foi cancelada após o presidente Michel Temer conversar no início da tarde desta sexta-feira, 6, por telefone, com a governadora do Estado, Suely Campos.

O desembarque do ministro na capital de Roraima foi comunicado aos jornalistas durante a coletiva de imprensa, realizada no Palácio do Planalto, na manha desta sexta-feira, em que Moraes detalhou os principais pontos do Plano Nacional de Segurança Pública.

De acordo com a assessoria do ministro, logo após a entrevista, Moraes se reuniu com Temer, no gabinete do presidente. Na ocasião, Temer entrou em contato por telefone com a governadora, que na conversa teria dito que "tudo estava sob controle" e que não havia necessidade da ida do ministro ao Estado. 

Por meio da assessoria, Alexandre de Moraes negou que o cancelamento da viagem tenha alguma relação com o fato de o ministério ter negado um pedido do governo de Roraima, feito em novembro do ano passado, para que o governo federal enviasse a Força Nacional para reforçar a segurança no sistema prisional do estado. Em ofício enviado no dia 21 de novembro, o governo de Roraima solicitou ajuda "em caráter de urgência".

Uma posição oficial sobre o episódio dever ser anunciada ainda nesta sexta pelo Ministério da Justiça. 

Matança. Cinco dias após o massacre de 60 presos em prisões do Amazonas - a maior parte ligada à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) -, outra matança dentro de penitenciária foi registrada nesta sexta-feira, 6, desta vez em Boa Vista, capital de Roraima. Segundo o governo do Estado, 31 detentos foram assassinados nesta madrugada, na Penitenciária Agrícola de Boa Vista (PAMC). A maioria das vítimas foi decapitada, teve o coração arrancado ou foi desmembrada. Os corpos foram jogados em um corredor que dá acesso as alas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.