Identificador de chamadas ajuda a prender agressor

Não satisfeito em disparar 12 vezes contra a ex-esposa, Dilma Antônia Gomes Brás, de 33 anos, atingida por oito dos tiros, em 25 de novembro último, em Guarulhos, na Grande São Paulo, Juraci Ananias Brás, de 42, passou a telefonar para os familiares dela, ameaçando matá-los. Um irmãos de Dilma comprou um aparelho identificador de chamadas e a polícia conseguiu localizar o agressor que foi preso e indiciado no 1º DP daquele município.Desde que o casal se separou, há dois anos, por causa das agressões do marido, Dilma e as filhas de 5 e 16 anos perderam a paz. Inconformado por não obter a guarda da filha caçula, após demandas na Justiça, começou a ameaçá-las de morte. A ameaça se efetivou naquele dia de novembro, quando foi à casa da ex-mulher e disparou contra ela. Socorrida, em estado grave, Dilma sobreviveu, mas continua internada. Apesar de não aparecer no bairro, Juraci ligava diariamente, pelo menos 10 vezes, afirmando que mataria os demais parentes de Dilma e as próprias filhas, se necessário. Temerosa, a garota de 16 anos até parou de freqüentar a escola, imaginando que o pai pudesse armar-lhe uma emboscada. Há uma semana, um irmão de Dilma comprou o identificador de chamadas e o instalou no telefone da família. Descobriu, então que todos os telefonemas eram feitos de um mesmo número e a polícia apurou que se trata de um orelhão, em frente a uma farmácia e um açougue, à altura do número 900 da Avenida São João Clímaco, na zona Sul da capital. Ontem à noite, Juraci estava ligando daquele aparelho, quando foi surpreendido pelos PMs. Suas intimidações aos familiares da ex-mulher foram ouvidas pelos policiais, que testemunharam contra ele, ao ser autuado em flagrante, no 1º DP de Guarulhos, pelas ameaças, e indiciado pela tentativa de homicídio contra Dilma. Durante o interrogatório descobriu-se que Juraci, há cinco anos, cometeu um homicídio na cidade baiana de Paulo Afonso e fugiu para São Paulo.

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2002 | 08h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.