Identificados PMs que atuavam em milícias nas favelas do RJ

Policiais da 22ª DP (Penha) conseguiram confirmar nesta terça-feira a participação de dois PMs na milícia que atuava dentro da favela Kelson´s, na Penha (zona norte). Ambos, porém, estão mortos. Um deles é Luiz Cláudio Souza Marques, 34 anos, o "tubarão", assassinado domingo durante confronto entre a milícia e traficantes que haviam sido expulsos daquela comunidade. Segundo o delegado Alcides Iantorno, responsável pela investigações, ele era "o dono da milícia". O outro militar é o cabo bombeiro Francisco Aírton Costa do Nascimento, 36 anos, morto dia 31 pelo também miliciano Tiago Costa Dantas, 36 anos, preso em flagrante. A polícia até agora não conseguiu esclarecer o motivo do desentendimento entre Nascimento e os outros milicianos. Sabe apenas que Dantas, junto com uma terceira pessoa ainda não identificada, estava de carona no Gol de propriedade de Nascimento, quando atirou na vítima. Depoimentos Um outro PM que, de acordo com a polícia, pode estar envolvido com a milícia da favela Kelson´s é o soldado Jorge Henrique Alves, ouvido nesta terça-feira na delegacia. Ele é do 16º BPM (Olaria), assim como o cabo bombeiro, e seria parente de Dantas. Ao contrário dos outros depoimentos, o PM contou com a ajuda de policiais civis para deixar a delegacia pela porta dos fundos em um carro da corporação, evitando o contato com a imprensa. Durante o enterro de Marques, ele carregou a viúva quando esta desmaiou. Também foram ouvidos na delegacia dois "soldados" da milícia: Wilbert dos Reis de Souza, 32 anos, e Luciano Severino da Silva, de 22 anos. Ambos presos nos último dia 16 de fevereiro, dentro da favela, quando portavam ilegalmente duas escopetas 12. Eles confirmaram o envolvimento com a milícia, mas pouco acrescentaram à investigação, pois contaram ter sido contratados no mesmo dia em que começaram a trabalhar, alegando não ter sido acertado o valor que receberiam. O delegado conseguiu identificar também um dos cinco traficantes que fugiram da favela Kelson´s no domingo, em um Corolla, durante o confronto entre milicianos e traficantes que resultou em nove mortes. Trata-se de Robson Carlos Machado, que aproveitou a invasão da favela para vingar-se do miliciano Sidnei Moreira de Azevedo, que estaria vivendo com sua antiga namorada.

Agencia Estado,

13 Fevereiro 2007 | 19h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.