Idosa fica 24 horas dentro de um porta-malas

Os policiais de Ponta Grossa ainda estão à procura dos seqüestradores de uma mulher de 80 anos, cuja identidade não foi divulgada, que foi libertada após ficar dentro de um porta-malas por aproximadamente 24 horas. Segundo a imprensa local, a mulher é mãe de um médico conhecido da região e foi seqüestrada na terça-feira, dia 2, às 8h30. Conforme o delegado Edward Ferraz, do Grupo Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial), os bandidos ligaram para a vítima e marcaram uma entrevista para um programa de televisão. O encontro foi marcado na Rua Comendador Miró, no Centro de Ponta Grossa, e depois ela foi colocada dentro do porta-malas do carro. Os seqüestradores, conta o delegado, fizeram dois contatos com a família, mas o filho achou que se tratava de um golpe do falso seqüestro. Segundo Ferraz, a idosa foi encontrada amordaçada e com um capuz na cabeça às 20h30 de quarta-feira, dia 4, abandonada na periferia.

Agencia Estado,

05 Abril 2007 | 22h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.