Idoso é morto em confusão entre moradores e PMs da UPP de Manguinhos

José Joaquim de Santana, de 81 anos, levou um tiro na cabeça depois que um dos policiais fez um disparo para cima

Thaise Constâncio, O Estado de S. Paulo

19 Dezembro 2013 | 10h43

RIO - Moradores da favela Mandela 2 e policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos, na zona norte do Rio, se envolveram em uma confusão por volta das 21h de quarta-feira, 18, que terminou com a morte de José Joaquim de Santana, de 81 anos. Santana levou um tiro na cabeça quando estava na varanda de casa e morreu no local. Um policial militar não identificado assumiu a autoria dos disparos.

Revoltados com a morte do idoso, moradores fecharam a Avenida Leopoldo Bulhões, em Bonsucesso, zona norte, por cerca de 30 minutos.

De acordo com o Comando das UPPs, os agentes da unidade do Arará/Mandela revistavam três suspeitos na localidade conhecida como Predinhos e encontraram uma quantidade ainda não contabilizada de maconha. Pela versão dos moradores, os policiais abordaram um menor e tentaram levá-lo para a delegacia antes da chegada da mãe do jovem. Ainda segundo o Comando das UPPs, enquanto os PMs levavam os detidos para a delegacia, a população atirou pedras e objetos contra os policiais e uma viatura para impedir a ação.

Os agentes chegaram a usar gás de pimenta contra os moradores. Enquanto um capitão da UPP conversava com moradores, outros policiais jogaram uma bomba de gás lacrimogêneo contra as pessoas, iniciando nova discussão.

Durante a confusão, os policiais fizeram diversos disparos para o alto e um dos tiros atingiu Santana. Em nota, o comandante da UPP Arará/Mandela, capitão Paulo Ramos, informou que um inquérito foi aberto para verificar a ocorrência. O policial já foi identificado, mas não teve o nome revelado, e a arma dele foi colocada à disposição para ser periciada.

Na confusão, quatro policiais tiveram ferimentos leves. Todos os agentes envolvidos serão afastados das operações de rua até a conclusão do inquérito.

O policiamento foi reforçado na região com agentes de diversas UPPs. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios (DH). O corpo do idoso permanece no Instituto Médico-Legal (IML) Afrânio Peixoto e aguarda a liberação da família.

O complexo de Manguinhos foi ocupado pela PM em dezembro de 2012 e a UPP foi inaugurada em janeiro deste ano. Nesta quinta-feira, 19, a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg) comemora cinco anos de implantação da primeira UPP, na comunidade Santa Marta, em Botafogo, zona sul.

Mais conteúdo sobre:
manguinhosupp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.