Igreja tombada é atingida por incêndio em Salvador

Um incêndio atingiu hoje a sala de reuniões da Igreja do Santíssimo Sacramento de Santana da capital baiana, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), em 1941. A rápida ação do Corpo de Bombeiros impediu que o fogo se alastrasse por outras partes e destruísse um dos mais belos templos católicos de Salvador. A pintura do teto e painéis do pintor Franco Velasco, um dos grandes nomes das artes plásticas baiana, não foram atingidos.Funcionários que trabalham no centro comunitário da paróquia, que fica no prédio ao lado da igreja, chamaram os bombeiros assim que perceberam o fogo no pavimento superior do templo, por volta das 7 horas Como o quartel fica a 200 metros do local, os "soldados do fogo" puderam chegar rapidamente e controlar o fogo. Os bombeiros encontraram uma gambiarra ligada, provavelmente usada para iluminar o local por operários que realizavam uma pequena obra no final de semana. "O fogo pode ter sido provocado por essa fiação", comentou um dos bombeiros.O vigário de Santana, monsenhor Gilberto Luna, disse que o incidente foi um alerta para a necessidade de uma intervenção urgente no monumento. "Vamos nos empenhar para restaurar a igreja. A última reforma no templo patrocinada pelo Iphan, ocorreu há dez anos e contemplou somente o altar-mor", disse.Santana começou a ser construída em 1746, mas devido às dificuldades financeiras da Confraria do Santíssimo Sacramento, somente foi concluída em 1828. Além das obras de Franco Velasco, a igreja possui vários painéis de um outro pintor de renome do século 19, José da Costa Andrade. Sua fachada de estilo rococó foi elaborada pelo engenheiro Felipe de Oliveira Mendes que trabalhou em outras igrejas baianas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.