Igrejas evangélicas anunciam hoje apoio à candidata do PT

Confiantes de que qualquer decisão sobre a legalização do aborto e do casamento de pessoas do mesmo sexo só será tomada pelo Congresso - conforme promessa feita por coordenadores da campanha de Dilma Rousseff - dirigentes de 15 igrejas evangélicas anunciam hoje apoio à candidatura da petista.

João Domingos / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2010 | 00h00

À frente do movimento está o deputado Manuel Francisco (PR), que é bispo e também presidente da Convenção Nacional da Assembleia de Deus do Ministério Madureira e presidente do Conselho Nacional dos Pastores do Brasil. A Assembleia de Deus é a igreja da candidata Marina Silva, do PV, mas Manuel Francisco optou por apoiar a petista. A ala do Ministério Madureira tem cerca de 2 milhões de fiéis.

Dilma recebe o apoio das lideranças evangélicas num momento em que está envolvida numa polêmica com a Igreja Católica. O bispo de Guarulhos, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, publicou na página virtual da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) um pedido de boicote à candidata, sob o argumento de que ela seria favorável à descriminalização do aborto.

Entre as igrejas que anunciarão apoio a Dilma estão ainda a Universal do Reino de Deus (do bispo Edir Macedo) e a Sara Nossa Terra (do jogador Kaká e dos bispos Estevam e Sônia Hernandes, presos nos Estados Unidos em 2007).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.