Ilha Comprida vai reforçar policiamento

A prefeitura de Ilha Comprida, no litoral sul do Estado, vai contratar seguranças e salva-vidas para proteger o turista durante o verão. A temporada na ilha, que tem mais de 40 quilômetros de praias, começa no fim deste mês e vai até o carnaval. A Prefeitura espera 800 mil visitantes, 100 mil a mais que no ano passado.A população fixa subiu de 1.800 habitantes em 1992 para os atuais 8 mil. A criminalidade também aumentou. Ante 824 crimes em 2000, foram registrados 1.143 no ano passado. Este ano, até 31 de novembro, houve 1.147 registros.Segundo a Polícia Civil, houve apenas 4 homicídios neste ano.Cerca de 30% dos registros são de furtos e roubos, mas não ocorreram latrocínios. O prefeito Décio Ventura (PSDB) define esta semana a quantidade de seguranças que prestarão serviços ao município, auxiliando o trabalho das Polícias Civil e Militar. Também haverá rigor na fiscalização dos ônibus turísticos.Com base em estatísticas que evidenciam o aumento do fluxo de visitantes em cerca de 300% nos últimos seis anos, o prefeito também solicitou reforço do policiamento civil e militar. Segundo ele, o município vem adotando ações conjuntas para conter a violência.Neste ano, a Polícia Militar ficará alojada no município por 24 horas e não mais em Iguape, como ocorria anteriormente. Além disso, o efetivo priorizará a fiscalização noturna. O trabalho preventivo é facilitado pelo fato de haver um único acesso à ilha, o portal da Ponte Laércio Ribeiro."O controle na entrada e saída de veículos nos dá uma segurança que, às vezes, outros municípios do litoral não têm", afirma Ventura.

Agencia Estado,

15 de novembro de 2002 | 23h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.