Ilhabela vai usar sistema digital de vigilância

Apesar do baixo índice de crimes registrado na cidade, mesmo durante a alta temporada, o município de Ilhabela, no Litoral Norte Paulista, quer reduzir ainda mais a violência. Para isso, a administração pública vai instalar, a partir de junho, 13 câmeras de gravação e transmissão de imagens digitais em pontos estratégicos da cidade. As câmeras serão monitoradas por computadores, que ficarão na delegacia de polícia. O sistema, de circuito fechado digital, pode permitir que as imagens das 13 câmeras sejam acessadas também pela Internet, mas a prefeitura ainda não informou se vai disponibilizar o serviço à população. Segundo o técnico responsável pela instalação do equipamento, Sérgio Diniz, da empresa Link Network, na cidade de Volta Redonda (RJ) o sistema reduziu em 70% a criminalidade no município. "A questão da invasão de privacidade é mínima quando se quer combater os roubos, os furtos e a marginalidade em geral", afirma. Na entrada e saída da balsa, por exemplo, as câmeras vão possibilitar a gravação e monitoramento até das placas dos veículos que chegarem à cidade. Ilhabela é o primeiro município do Vale do Paraíba a contar com este sistema de fiscalização e monitoramento. A população, de 21 mil habitantes, chega a dobrar durante a alta temporada, mas os índices de violência não são tão altos. Nos primeiros meses do ano, a média, segundo a polícia militar, foi de 140 ocorrências por mês, contando acidentes de trânsito, brigas e perturbação do sossego público. Em fevereiro deste ano, por exemplo, mesmo com o Carnaval e a cidade cheia de turistas, foram notificados 2 roubos e 12 furtos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.