Ilhota, onde houve mais mortes, será revitalizada

Governador será recebido hoje pelo presidente Lula

Júlio Castro, O Estadao de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 00h00

O complexo do Baú, no Vale do Itajaí, vai ser contemplado com grandes investimentos. Foi o que garantiu o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Pertencente ao município de Ilhota - onde foi registrado o maior número de mortes (37) por soterramento durante as fortes chuvas que caíram no mês passado -, a localidade vai ser reestruturada. O governador assegurou a reconstrução das casas, a reposição da rede elétrica e auxílio aos agricultores locais. Hoje, ele será recebido pelo presidente Lula, em Brasília, e receberá um levantamento sobre as ações de ajuda às vítimas desenvolvidas pelos ministérios. Com o resgate ontem do corpo de uma menina que havia sido soterrada em Ilhota, já são 123 os mortos na tragédia catarinense. Há ainda 19 desaparecidos, segundo a Defesa Civil de Santa Catarina. As equipes de resgate mantém buscas ao casal Erna Cipriano, de 79 anos, e Sigfritz Taihetch, de 77, que tiveram a casa soterrada no dia 24 de novembro, em Gaspar. O casal já havia sido retirado da residência destruída e estava abrigado na casa de um vizinho, mas decidiu retornar à região atingida para cuidar da criação de galinhas. Houve um novo desmoronamento, e o casal desapareceu. Pelo menos 32.946 pessoas continuam fora de suas casas. São 5.750 desabrigados (em abrigos) e 27.236 desalojados (em casa de parentes).Em visita a Ilhota, o governador Luiz Henrique da Silveira disse que os problemas da comunidade são prioridade. "Vamos gastar aqui o que for necessário para esta região voltar às suas atividades e recompor a vida dos moradores". Ao receber um documento com pedido de auxílio aos rizicultores, o governador confirmou que o Estado, por meio da Secretaria de Agricultura, dará crédito especial a fundo perdido para a subsistência desses produtores. Os demais itens, como a extensão do pagamento de dívidas de investimento para 20 anos, serão repassados ao governo federal. A Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), responsável pela distribuição de energia no Estado, comprou, com a Companhia de Habitação de Santa Catarina (Cohab), 3 mil geladeiras e 2,5 mil aquecedores solares para distribuir aos moradores da região afetada, além de lâmpadas. Serão construídas, com recursos do governo federal, 523 casas. O município de Itajaí já recebe as primeiras, em razão da disponibilidade de terrenos. VOLUNTÁRIOS ''SUMIRAM''A Defesa Civil informou precisar de voluntários para auxiliar nos trabalhos de descarga e triagem de doações que chegam até a Central de Arrecadação e Distribuição montada no bairro Serraria, em São José, na Grande Florianópolis. De acordo com a coordenadora de Doações do departamento, Cristiane Nascimento, a cada dia diminui o número de voluntários. "É uma pena que os voluntários tenham sumido. Os caminhões chegam carregados e falta gente para descarregar. Apesar do esforço das equipes presentes, perdemos muito tempo", diz Cristiane. A Defesa Civil oferece almoço e jantar aos colaboradores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.