Imigrantes terá R$ 55 mi para fluidez

Governo assinou convênio que prevê eliminação de 6 semáforos

Rejane Lima, SÃO VICENTE, O Estadao de S.Paulo

09 de abril de 2009 | 00h00

Depois de quase um ano e meio de discussão, o governo de São Paulo assinou ontem um convênio liberando R$ 55,3 milhões para a construção de três viadutos e três passagens de nível que eliminarão seis semáforos na Rodovia dos Imigrantes, ajudando na fluidez do trânsito para o litoral sul. A expectativa é que a obra entre os km 65 e 70 da rodovia seja concluída até o final de 2011.O Secretário Estadual de Transportes, Mauro Arce, afirmou que todos os recursos serão do Estado e que a obra será tocada pela prefeitura - e não pela Ecovias, concessionária do Sistema Anchieta-Imigrantes, porque não estava prevista no contrato original. O governo entendeu que seria importante deixar a cargo da administração municipal por ser uma obra com interferência total na rotina de São Vicente.O projeto foi apresentado pela prefeitura após o réveillon de 2008, quando o trânsito de veículos em direção à capital paralisou a estrada e a interligação de alguns bairros da área continental com o centro da cidade.O prefeito de São Vicente, Tércio Garcia (PSB), afirmou que, além de beneficiar os turistas que frequentam o litoral sul, mais de 100 mil moradores que ficam "ilhados" de um lado da cidade serão beneficiados.Segundo Garcia, agora serão feitas duas licitações: a do projeto executivo e a da obra. "É uma obra grande e pode haver algum conflito de interesses de empreiteiras que queiram obter a obra. Mas, na pior das hipóteses, entre outubro e novembro devemos ter vencido essas duas fases." A construção deverá ser iniciada nos primeiros meses de 2010, pelas marginais e, em seguida, serão feitas passagens e viadutos, evitando transtornos, principalmente na temporada de verão.Um dos idealizadores do projeto, o deputado estadual Luciano Batista (PSB) afirmou que a demora para a assinatura do convênio ocorreu por causa de "uma clara resistência" do governo quanto à decisão do governador José Serra (PSDB) de repassar o recurso para que a própria prefeitura executasse a obra.FIM DAS BALSASO secretário Mauro Arce confirmou ontem que estudo sobre uma nova ligação entre Santos e Guarujá revelou que dificilmente saia do papel o projeto de um túnel submarino. E que a solução estaria se encaminhando para uma ponte estaiada. Arce afirmou que o estudo deverá ser apresentado ao governador na próxima semana. "Túnel pré-moldado se mostrou muito complicado para ser feito, principalmente numa região onde há grande movimento de navios." E destacou que o compromisso do governo é o de oferecer uma travessia terrestre, na ponta da praia, em substituição à balsa. FRASESTércio GarciaPrefeito de São Vicente"É uma obra grande e pode haver algum conflito de interesses de empreiteiras que queiram obter a obra. Mas, na pior das hipóteses, entre outubro e novembro devemos ter vencido essas duas fases (das licitações do projeto executivo e da obra)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.