IML de São Paulo recebeu 132 corpos baleados em oito dias

Na semana de ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) e da resposta policial, de 12 a 20 de maio, 132 corpos de pessoas baleadas deram entrada na sede central do Instituto Médico Legal de São Paulo, segundo o Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). O dado consta de relatório entregue nesta quarta-feira, 24, na sede do Ministério Público Federal em São Paulo. Segundo comunicado do Cremesp à imprensa, o relatório tem cerca de mil páginas, somando documentos e avaliações dos peritos que visitaram o local entre os dias 20 e 22. No texto, o conselho diz que foram recebidos no IML central nessa semana 273 corpos, dos quais "132 apresentaram causa mortis relacionada a ferimentos por arma de fogo". O comunicado ressalva que "estes dados não estão relacionados obrigatoriamente às supostas vítimas de confrontos entre policiais e civis, uma vez que estas informações não constam dos registros médicos analisados pelo Cremesp". O relatório "contém a lista de nomes das vítimas e também "cópias dos laudos necroscópicos referentes a estes 132 óbitos". De acordo com a assessoria de imprensa do conselho, a divulgação ou não de detalhes da diligência ficará a critério do MPF em São Paulo. A assessoria de imprensa do MPF diz que divulgará o relatório logo que conseguir providenciar a digitalização dos documentos. O documento também será entregue pelo Cremesp ao Ministério Público Estadual e à Defensoria Pública do Estado de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.