Imóveis do Morumbi darão lugar a túnel

A ampliação do Jânio Quadros integra pacote de obras viárias

Diego Zanchetta, Renato Machado e Vitor Sorano, O Estadao de S.Paulo

09 de junho de 2009 | 00h00

A Prefeitura de São Paulo anunciou ontem o início das obras para a ampliação do Túnel Jânio Quadros, com previsão de interligação com o Túnel Tribunal de Justiça e a Avenida Juscelino Kubitschek. A intervenção vai exigir a desapropriação de cerca de 30 imóveis no Morumbi, em duas áreas que somam 3.960 metros quadrados, de acordo com decretos publicados no sábado no Diário Oficial da Cidade. Os imóveis atingidos não foram divulgados.A intervenção faz parte do pacote de obras que prevê transformar parte da Vila Olímpia no Bulevar JK. O projeto, iniciado em 1986, na gestão Jânio Quadros, e retomado por Gilberto Kassab em 2007, tem custo atualizado em R$ 1,369 bilhão, segundo o Tribunal de Contas do Município. As primeiras intervenções começaram em setembro do ano passado, com mudanças no trânsito da Vila Olímpia. O Túnel Jânio Quadros tem 1.900 metros de extensão e liga a Juscelino Kubitschek às Avenidas Lineu de Paulo Machado e Engenheiro Oscar Americano, passando sob o Rio Pinheiros.O bulevar vai criar uma passagem subterrânea de 1.500 metros para facilitar o tráfego entre a Avenida 23 de Maio e o Morumbi, na zona sul. Fará a ligação direta dos Túneis Ayrton Senna/Tribunal de Justiça - complexo que começa no Ibirapuera e termina na Juscelino - aos Túneis Sebastião Camargo e Jânio Quadros. Com isso, a Juscelino vai ficar restrita ao trânsito local. As desapropriações ocorrerão em área que concentra imóveis de alto padrão. No entorno, ficam equipamentos como o Parque Alfredo Volpi e o Jockey Club. A Sociedade Amigos da Cidade Jardim informa não ter sido consultada, mas que já tinha conhecimento sobre as obras. "Vimos os engenheiros da Prefeitura, questionamos e nos mostraram a planta", afirma a presidente Caia Marrey. Segundo ela, os moradores pediram reunião com a Empresa Municipal de Urbanização (Emurb).Os dois decretos declararam a área de utilidade pública. A partir das publicações, a Prefeitura pode adquiri-los por meio de acordo ou entrar com ação judicial de desapropriação. O processo administrativo cita a Rua das Malvas, a Praça Dr. João Ademar de Almeida Prado e as Avenidas Lineu de Paula Machado e Engenheiro Oscar Americano. NÚMEROS30 imóveis do Morumbi terão de ser desapropriados 4 mil metros² foram declarados de utilidade públicaR$ 1,3 bilhão é o custo da obra 1.500 metros é a extensão da passagem subterrânea do bulevar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.