Imóvel de 180 anos em Minas está ''à venda'' na internet

"Vendo casarão para demolição com área de 500 metros quadrados de construção, com mais de 180 anos, em bom estado de conservação." A propaganda, simples e direta, colocada em junho em um fórum na internet, refere-se ao imóvel mais antigo do município de Senador Firmino, a 300 quilômetros de Belo Horizonte, construído no mesmo estilo colonial das fazendas de café. Ele ainda não foi negociado nem demolido porque o anúncio virou alvo da investigação do Ministério Público, que acionou a polícia e os órgãos de patrimônio. O problema é que o caso pode ser exceção - segundo levantamento feito pela reportagem com base em denúncias de entidades em junho e julho deste ano, casas consideradas históricas foram demolidas em Congonhas, Diamantina, Corumbá, Goiânia, Porto Seguro, Nova Friburgo, Erechim, São Francisco do Sul. Só a promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais recebe em média uma denúncia por semana envolvendo demolições irregulares no Estado. Para frear esse desinteresse com o patrimônio público, o PAC das Cidades Históricas terá um instrumento importante - o financiamento a juro zero, com linha de crédito pela Caixa Econômica, para quem quiser reformar e dar uso adequado a imóveis particulares tombados pelo Iphan. "Já notamos um interesse maior na sociedade pela preservação do patrimônio histórico brasileiro, até por uma questão de busca da identidade local e nacional", diz Luiz Fernando de Almeida, presidente do Iphan. "Por isso, acho que o momento é muito propício para o programa das cidades históricas, e o financiamento para imóveis privados pode ser justamente uma bandeira importante dessa mudança."

, O Estadao de S.Paulo

01 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.