Impactos incluem retirada de 203 árvores

Além da melhora nas condições de tráfego e piora localizada da qualidade do ar, o relatório prevê 14 impactos permanentes nas proximidades e nos Distritos de Vila Mariana e Moema, beneficiados pela obra. Será necessário, por exemplo, o corte ou manejo de 203 árvores da região, incluindo dois jatobás de grande porte localizados na Avenida 23 de Maio, perto da Rua Estela. A relevância é considerada alta, segundo o documento, tendo em vista a degradação ambiental do centro da capital. O relatório prevê ainda a impermeabilização de 15 mil metros quadrados de área - no local onde haverá as construções. O texto oficial também aponta como certa a alteração nos níveis de barulho no entorno do empreendimento, na Área de Influência Direta, tanto durante a instalação como na operação. A relevância é considerada média. "O incômodo pelo ruído pode perturbar o descanso e outras atividades", diz o documento, que sugere monitoramento de vias da Vila Mariana após o fim da obra. Já durante a execução dos serviços estão previstos transtornos temporários como a geração de resíduos sólidos - particularmente da demolição de edificações, uma vez que quase 6 mil m² terão de ser desapropriados. Também está previsto o benefício da criação de empregos diretos e indiretos durante a execução da obra e mesmo depois. O presidente da Associação de Moradores e Amigos de Vila Mariana, Oswaldo Luiz Baccan, é favorável à obra, mas faz ressalvas. "Hoje em dia (as ruas do distrito) têm uma sobrecarga muito grande de trânsito", que será aliviada com a construção do túnel. "Mas há as coisas negativas. Teremos desapropriações."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.