Impasse entre empresa aérea e PF atrasa vôo no Rio

Três policiais federais que tentaram embarcar hoje de manhã para Brasília com dois fuzis e cerca de 200 cápsulas de munição e provocaram tumulto no vôo 1786 da empresa aérea Gol. A aeronave ficou retida por 1h40 na pista do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim até que as armas fossem colocadas no compartimento de carga e só decolou às 8h30.A munição ficou retida na delegacia da PF que funciona no terminal e deve ser embarcada por outra empresa aérea autorizada para esse tipo de transporte. A Gol informou que não tem permissão do Departamento de Aviação Civil (DAC) para levar os projéteis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.