Impecável, Vila Maria põe japonês no samba

Rosas também levantou público no primeiro dia de desfile em SP

Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

03 de fevereiro de 2008 | 00h00

Se há uma unanimidade no primeiro dia de desfile das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, ela responde pela apresentação quase impecável da Unidos de Vila Maria. A escola da zona norte deixou os críticos e especialistas de queixo caído. "Foram os carros mais luxuosos, as alegorias mais bonitas, estava tudo muito bem ensaiado", resume o jornalista e pesquisador de carnaval Candinho Neto, um dos três especialistas do júri do Estado. "A Rosas de Ouro também foi um destaque, com uma ótima evolução, alegorias e carros, mas a escola faz esse carnaval há anos."A Vila Maria fez uma homenagem à altura da importância do centenário da imigração japonesa, com o samba-enredo Irashai-Mase (bem-vindo, em japonês), Milênios de Cultura e Sabedoria no Centenário da Imigração Japonesa. A meticulosidade oriental foi reproduzida à risca pelo carnavalesco Wagner Santos. Tecidos foram importados do Japão. As cores vibrantes, como vermelho e amarelo, e tons metálicos fizeram a Vila brilhar ainda mais.Maior escola a desfilar - com 4,9 mil componentes (muitos deles japoneses), 27 alas e 5 carros alegóricos -, a Vila Maria se esforçou para impressionar. O abre-alas, com 137 metros, representava o bairro da Liberdade, com Buda e guerreiros samurais.Na comissão de frente, dez homens vestidos de quimono faziam coreografias perfeitas com leques. A escola caprichou nas maquiagens. A maioria dos integrantes desfilou com o rosto pintado, com expressão oriental. As baianas vieram fantasiadas de gueixas. Apesar do número de integrantes, a Vila Maria cumpriu o prazo com folga e terminou o desfile em 62 minutos. Outra integrante do júri do Estado, a professora de História e pesquisadora sobre samba Maria Aparecida Urbano, vota numa vitória simbólica da Vila Maria. "A Gaviões veio bem, mas não me convenceu, nem a Águia de Ouro. A Vila Maria foi a única nota 10." Apesar de dar nota 10 para a Vila Maria, Nelson Crecibeni Filho, historiador e presidente da Federação das Escolas de Samba e Entidades Carnavalescas do Estado, não descarta o título para a Rosas. "Foram dois desfiles muito bons, dois notas 10."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.