Impostômetro apaga na hora h

Serra e Alckmin explorariam marco de R$ 800 bi, mas painel sofreu um apagão

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2010 | 00h00

O painel do impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), no centro da capital paulista, sofreu um apagão ontem pela manhã durante agenda conjunta dos candidatos tucanos José Serra e Geraldo Alckmin.

Serra e Alckmin haviam marcado um ato simbólico para criticar o que consideram excesso de tributação do governo federal. Utilizariam o impostômetro como marco para discursar para as câmeras, no exato momento em que atingiria R$ 800 bilhões de arrecadação.

No entanto, às 12h06, quando os candidatos se posicionaram em frente ao painel eletrônico na Rua Boa Vista, no centro de São Paulo, com câmeras a postos, o impostômetro apagou. E permaneceu assim por pelo menos 30 minutos.

A poucos metros dali, em tenda montada em frente ao Pátio do Colégio, funcionários da ACSP improvisaram contagem regressiva quando o relógio marcou 12h11 - minuto em que o painel atingiria o montante. Mas os candidatos não se animaram a acompanhar.

Em seguida, Serra e Alckmin tiveram de improvisar. Fizeram rápido corpo a corpo e tomaram café em uma lanchonete nas proximidades do impostômetro.

Enquanto isso, o painel voltou a funcionar. Mas só depois de ultrapassar os R$ 800 bi. Guilherme Afif Domingos (DEM), vice de Alckmin, acusou hackers. A ACSP apura as causas para a falha.

"Vai ver algum anãozinho foi lá e criou o sigilo para isso. A moda no Brasil é quebrar sigilo. Aí, nesse caso, foi construir o sigilo", ironizou Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.