'Imprensa é livre para publicar o que quiser', diz ministro

Antes mesmo de o TRE do Tocantins cassar a liminar que censurava 84 órgãos de imprensa, o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, fez defesa explícita da liberdade de imprensa. "Para mim, ela é absolutamente livre para publicar o que bem entender, para comunicar a população", disse, em Salvador. "É até dever da imprensa fazer isso."

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2010 | 00h00

O ministro preferiu, no entanto, não comentar a decisão do desembargador Liberato Póvoa, responsável pela concessão de liminar que proibia a divulgação de informações relativas à investigação, por parte do Ministério Público de São Paulo, sobre a suposta participação do governador do Tocantins, Carlos Gaguim (PMDB), em esquema de fraudes em licitações. "Não tenho notícias precisas sobre esse veto", esquivou-se.

Lewandowski participou de reunião com o presidente do TRE da Bahia, Mário Alberto Simões Hirs, para avaliar os preparativos para a eleição de domingo. Ele disse estar confiante no sucesso do processo eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.