Imprensa estrangeira lembra escândalos do governo Lula

A reeleição do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva com mais de 60% dos votos ganhou as manchetes nos sites dos maiores veículos de comunicação internacionais. A imprensa estrangeira destacou a vitória lembrando os escândalos de corrupção e questionou os rumos da política econômica do segundo mandato do petista.O repórter da rede londrina BBC em São Paulo, Steve Kingstone, classificou o resultado das eleições como uma vitória ressoante para um homem que foi desacreditado há menos de um ano, quando o PT estava no centro do escândalo de compra de votos no Congresso, o mensalão. Segundo o correspondente, o presidente agüentou a "tempestade" na primeira parte da campanha eleitoral, quando colegas de partido foram acusados de corrupção. "Os eleitores deram a Lula outro mandato pelos seus esforços em diminuir a pobreza e melhorar a economia", publicou a BBC.A BBC atribui o fraco desempenho de Alckmin às acusações de privatização de empresas estatais, feitas por Lula na campanha do segundo turno. "Privatizações são vistas com desconfiança no Brasil. A acusação, sem dúvida, custou a Alckmin votos".O site do jornal espanhol El País destacou a promessa de Lula de fazer do Brasil um país desenvolvido e analisou os rumos da economia no segundo mandato do petista. "A reeleição garante a continuidade da política econômica, mas abre interrogações sobre possíveis mudanças na equipe econômica e sobre a ênfase para o tema no segundo mandato". A reportagem relata o ajuste fiscal e a rígida política monetária baseada no regime de metas da inflação adotados pelo governo Lula. El País pondera que, apesar de melhorar as contas externas, as medidas causaram baixo crescimento para o Brasil. No ano passado, o índice foi de 2,3%.A política econômica conservadora também é citada pelo site do jornal americano The New York Times. "Mr. da Silva governou na direita, mas, nas últimas semanas, fez campanha na esquerda".Escândalos de corrupçãoO NYT destacou os escândalos de corrupção envolvendo o PT e pessoas próximas a Lula. A reportagem é de Larry Rother - correspondente quase expulso do Brasil em 2004 por escrever sobre a suposta preocupação dos brasileiros com o consumo excessivo de bebidas alcoólicas por Lula. "Apesar de uma série de escândalos que picharam sua imagem e minaram sua credibilidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou de forma esmagadora a eleição", diz a reportagem. O texto relembra as denúncias do mensalão, o financiamento ilegal da campanha de 2002 e o caso do dossiê Vedoin, elaborado para prejudicar a candidatura de José Serra ao governo de São Paulo.Rother atribui a vitória de Lula aos programas sociais, como o Bolsa Família, que beneficiam familiar pobres. "Mr. da Silva nunca perde a oportunidade de relembrar suas origens humildes, semelhante à maioria de seu eleitorado, já Alckmin não conseguiu se livrar da imagem de pedante filho da classe média". Como The New York Times, o site do jornal espanhol El Mundo coloca a corrupção como a protagonista da campanha eleitoral, referindo-se à compra do dossiê Vedoin. El Mundo relata que, apesar da euforia da militância petista, as denúncias poderiam ter causado a impugnação da candidatura Lula, caso fosse comprovado o envolvimento do presidente. Prioridade para o MercosulO Clarín, maior jornal argentino, destaca em seu site a fala de Lula sobre a importância do Mercosul. "Lula não citou o presidente Kirchner, mas é como se o tivesse feito ao afirmar que nunca houve tanta confiança política na Argentina e nos países do Mercosul como agora".Para o Clarín, a massiva votação dá a Lula "forte respaldo e oxigênio para começar o segundo mandato". O site argentino publica artigo assinado pelo presidente, sobre a diminuição da desigualdade social no Brasil. O petista escreve: "Chego ao final do mandato com a firme convicção de que materializamos parte significativa das esperanças do povo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.