Argentino Clarín noticia tragédia no RS
Argentino Clarín noticia tragédia no RS

Imprensa internacional destaca tragédia no Rio Grande do Sul

Incêndio em boate de Santa Maria deixou dezenas de pessoas mortas e feridas

estadão.com.br,

27 de janeiro de 2013 | 11h56

Sites de importantes jornais do mundo, como o espanhol El País e o Los Angeles Times, dos Estados Unidos, destacavam na primeira página de seus sites, na manhã deste domingo, 27, a tragédia na boate de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que deixou dezenas de pessoas mortos.

O El País publicava uma foto grande de um carro de bombeiros perto do local do incêndio e reportava que o fogo "se originou depois de um espetáculo pirotécnico da banda que atuava no local". A notícia era a principal de todo o site da publicação. Usando a mesma foto, de uma agência internacional, o Los Angeles Times também tratava a notícia como a principal do momento.

Os principais jornais da Argentina, que faz fronteira com o Rio Grande do Sul, deram amplo espaço em suas páginas iniciais na internet para a cobertura do incêndio. O Clarín trazia inclusive um vídeo com imagens de TV feitas durante o trabalho dos bombeiros. Já o La Nación escrevia em sua principal matéria do momento que o incêndio, iniciado por volta das 2h do domingo, foi controlado "mais de três horas depois".

O português Diário de Notícias trazia uma reportagem sobre o incêndio como a segunda principal em seu site, abaixo de uma sobre um acidente rodoviário que deixou 11 mortos naquele país.

Por sua vez, uma das mais importantes revistas da Alemanha, a Der Spiegel, dava amplo destaque ao incêndio na sua página virtual, escrevendo que, além dos mortos, o desastre deixou 200 feridos.

A rede de TV norte-americana CNN também trazia a notícia destacada em seu site. De acordo com a apuração da emissora, "a maioria dos vítimas aparentemente morreu por causa da inalação da fumaça". A britânica BBC dava a tragédia como uma das principais notícias na sua página.

Ausência

O New York Times, dos Estados Unidos, ainda não havia publicado nada sobre o incêndio em sua página principal por volta das 11h30 deste domingo, no horário de Brasília, ou seja, nove horas depois do início da tragédia. O Le Monde, da França, publicou a notícia, mas não a destacou muito em seu site. Os ingleses The Guardian e The Sunday Times também não davam muita prioridade à notícia em seus websites.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.