Imprensa internacional questiona favoritismo de Lula

A imprensa internacional acompanha com atenção as eleições de domingo no Brasil. Nos últimos dias, os principais jornais europeus e asiáticos enviaram correspondentes ao País e uma série de reportagens sobre tudo que pode ter relação com o Brasil já foi publicada.Ao contrário dos comentários positivos às vésperas das eleições de 2002, em que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva aparecia como a esperança, a cobertura neste ano tenta entender como, apesar de todos os escândalos de corrupção, o presidente segue sendo o favorito.Para o Nouvel Observateur, da França, "apesar dos escândalos, da persistência da desigualdade, do crescimento fraco e das reformas em pane, o atual presidente tem fortes chances de ser reeleito". Segundo artigo publicado na quarta, "a ajuda aos mais pobres, aumento do salário mínimo e melhor renda" teriam dado essa popularidade à Lula.Em Portugal, onde vive a maior quantidade de brasileiros na Europa, os jornais trazem praticamente todos os dias as notícias sobre as eleições. No Pravda, da Rússia, os últimos cinco dias foram de violentos ataques contra Lula no Brasil. O jornal suíço Tribune de Geneve, ironizou a recente passagem do ministro da Cultura, Gilberto Gil, por Genebra e suas declarações sobre corrupção. "Esse é o mistério da vida", respondeu Gil quando questionado sobre a liderança de Lula apesar dos escândalos. "A corrupção não é verdadeiramente um problema para o cidadão, não é sua preocupação principal", disse ele na edição do Tribune. O jornal ainda questionou se o Brasil seria "ingovernável sem corrupção". "Isso é você quem está dizendo. Isso é pura especulação", respondeu o ministro.Para os britânicos do Financial Times, a corrida para a presidência só se tornou uma "competição genuína" nos últimos dias, diante das denúncias de corrupção. Já o francês Le Monde destaca a esperança da oposição em chegar ao segundo turno.Até mesmo na Ásia, os jornais locais dão com detalhes os últimos acontecimentos da campanha. O People´s Daily, da China, conta até que as recentes investigações sobre o dossiê contra José Serra não devem estar concluídas antes da votação. No Taiwan Times, o último ano de Lula no governo foi permeado de escândalos de corrupção.Estrangeiros na cobertura da votaçãoO Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) recebeu cerca de 700 pedidos de credenciamento de imprensa, entre eles diversos órgãos estrangeiros, como a Al Jazeera International, TV KBS Sul Coreana, BBC World, The Associated Press, Dow Jones e TV Espanhola, que querem registrar o dia da eleição.O TRE informou em seu site que os veículos de comunicação poderão fazer filmagens e fotos de personalidades nas seções eleitorais, desde que seja resguardado o sigilo do voto e que as entrevistas sejam realizadas fora das seções.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2006 | 17h17

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.