Inadimplência e liminares ameaçam racionamento

O racionamento de energia elétrica, que começa em junho nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, é considerado "ineficiente" por integrantes do governo por causa do risco altíssimo de inadimplência no pagamento de contas de luz. O governo calcula que cerca de 30% dos consumidores não terão dinheiro para pagar a conta com a sobretaxa. De acordo com diretores das principais empresas do setor, além da falta de pagamento, a iminente possibilidade de uma chuva de liminares na Justiça comprometerá a eficácia do plano. Vários juristas já asseguram que a sobretaxa para quem não cumprir a economia é um imposto disfarçado e inconstitucional. Integrantes do governo acreditam que o racionamento servirá mais como pretexto para aumentar as tarifas no futuro do que como inibidor de consumo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.