Inauguração de trecho do Rodoanel ganha tom eleitoral

A cerimônia de inauguração de maisum trecho do Rodoanel, neste domingo, foi aberta por um coro de cerca de500 pessoas: "Brasil urgente, Serra presidente". O candidatodo PSDB na corrida sucessória foi o primeiro a subir ao palco doevento, seguido pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e pelopresidente Fernando Henrique Cardoso. E o palco virou palanque.Serra ouviu elogios do governador e do presidente - queexplicitamente defendeu a continuidade do projeto tucano,inclusive em São Paulo, onde Alckmin é candidato à reeleição.Deputados e prefeitos levaram claque. Só de Itapevi,foram três ônibus da associação dos idosos. Militantes de Osasco ligados ao prefeito Celso Giglio (PSDB), vestiam camisetas deapoio a Serra e Alckmin.A recepção calorosa, entretanto,começava muito antes do galpão montado para a cerimônia. Aolongo de quase dois quilômetros de extensão do Rodoanel, cercade 2000 caminhões enfileiravam-se com faixas de apoio à obra eao governador."O deputado João Caramez nos convidou", disse apresidente da Associação dos Idosos de Itapevi, TerezinhaAparecida Tortoro. Os velhinhos ganharam transporte e lanche. Osmais sortudos ganharam bonés. Além do transporte até o local,funcionários da prefeitura de Osasco teriam direito a um almoçono Frangão. "Fomos convocados, é como se fosse um dia detrabalho, mas viemos livremente", afirmou Claudete Aparecida deSouza Ferreira, encarregada administrativa da prefeitura, aolado de três colegas. Ela se diz eleitora de Serra e Alckmin.Patrocinados por diferentes transportadoras, osmotoristas de caminhão trocaram um dia de folga pelo pagamentode hora-extra, R$ 25 e mais um lanche. Sua missão era apenasestar ali. Francisco Pereira Matos, da Transportadora Americana,não receberia o bônus de R$ 25. Élcio Roberto da Costa, daBraspress, ficou sem lanche. Alguns dos motoristas sequer sabiamque havia políticos por lá. "Viemos por causa do Rodoanel",disse Josias Garcia.Associações de Transportadoras, como aFederação das Empresas Transportadoras de Cargas do Estado deSão Paulo, homenagearam Alckmin e Fernando Henrique durante ainauguração com a entrega de placas comemorativas.Discreto, Serra não discursou e tampouco concedeuentrevista. Mas ouviu atento as referências elogiosas dogovernador e do presidente sobre sua atuação no Ministério daSaúde ao longo da cerimônia. O governador Mário Covas, morto emmarço, foi lembrado e homenageado por Alckmin e pelo presidente.E Fernando Henrique não esqueceu de seu sucessor. "GeraldoAlckmin encarna os melhores valores da vida política brasileiracontemporânea e dá seguimento à obra de Mário Covas de umamaneira extraordinária", declarou o presidente.Logo em seguida referiu-se à "gestão enérgica" de Serra na Saúde, citando oatendimento de 50 milhões de pessoas no programa de médicos defamília.Não só os candidatos ganharam elogios do presidente.Fernando Henrique se disse confiante no povo brasileiro sobreseu voto em outubro."Estamos construindo o futuro. Temos um grande povo,que sempre soube discernir nos momentos difíceis, como ainda hápouco, na crise de energia, como antes, quando entendeu o queera URV, para fazer a estabilização da moeda. Quando muita gentenão entendeu e ficou contra, o povo entendeu e apoiou",declarou o presidente. "Por isso, o povo há de entender tambémque a continuidade do caminho do progresso é essencial para quenossos filhos e netos possam usufruir de um Brasil melhor.Confio nesse povo. Confio em que o povo de São Paulo vaicontinuar sabendo escolher, como sempre soube, os seusdirigentes e que o que estamos fazendo é apenas um começo, não éum interregno. Terá continuidade, pelo bem do Brasil."O presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB)voltou a cobrar neste domingo do Congresso a aprovação da emendaconstitucional que prorroga a vigência da CPMF até 2004.Opresidente participou da inauguração de um trecho do RodoanelMário Covas, entre as rodovias Raposo Tavares e RégisBittencourt, em Embu das Artes (SP). "Essa obra custa mais deR$ 1 bilhão. Agora, pensem bem - e eu apelo aos deputados e àsdeputadas - isso corresponde a duas semanas de CPMF. É só nãoatrasar. E o povo agradece. Não é o Presidente da República,não. É o povo que agradece aos deputados que cumprirem o seudever e votarem a CPMF", afirmou o presidente em seu discurso.Ao pedir o voto inclusive dos deputados presentes àcerimônia, Fernando Henrique declarou que quem não aprovar aemenda estará "atrapalhando o Brasil", impedindo que obrascomo o Rodoanel "avancem".E completou: "Governo não fabricadinheiro. Dinheiro vem do imposto. É ruim porque é imposto, masnão há outro modo. De modo que apelo aos deputados. E já vi,pelo sorriso de alguns deles que entenderam a minha mensagem eque vão votar a favor, e logo."Participaram da inauguração o governador Geraldo Alckmin o candidato do PSDB à Presidência e ex-ministro da Saúde, JoséSerra, o ministro dos Transportes, João Henrique, o presidentedo PMDB, deputado Michel Temer (SP), o presidente do PSDB, JoséAnibal, e vários deputados, entre eles a tucana Zulaiê CobraRibeiro, além dos prefeitos da região.Fernando Henrique destacou o Rodoanel como a maior obraem execução na atualidade. Iniciativas como o Rodoanel, fezquestão de destacar o presidente, são sinais de que o País viveum momento de progresso."A quantidade de obras existentes noBrasil, hoje - umas já prontas, outras em construção, outras emfase final, para terminar - é alguma coisa que creio que - nãocontei - mas duvido de que em outra época da história do Brasiltenha havido tanta obra quanto nesses últimos 10 anos. E tudoisso se fez sem que estivéssemos gritando que estávamos fazendo.Tudo isso se fez quando nós ouvíamos, calados, que o governo sócuidava da moeda, como se cuidar da moeda não fosse importantepara o povo. Mas não é verdade. Cuidamos da moeda e cuidamostambém de mudar o país, de transformar o Brasil."Para o presidente, "falta muito" a ser feito, mas "umBrasil melhor" está sendo construído.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.