MARCELLO DIAS/FUTURA PRESS
MARCELLO DIAS/FUTURA PRESS

'Incalculável' perda para o Brasil, diz Temer sobre Museu Nacional

'O valor para nossa história não se pode mensurar', disse o presidente em nota

Amanda Pupo, O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2018 | 21h49
Atualizado 03 Setembro 2018 | 12h40

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer, em nota divulgada na noite deste domingo, 2, lamentou o incêndio que atinge o Museu Nacional, na zona norte do Rio, destacando o episódio como "incalculável" perda para o Brasil. "Hoje é um dia trágico para a museologia de nosso país. Foram perdidos duzentos anos de trabalho, pesquisa e conhecimento. O valor para nossa história não se pode mensurar, pelos danos ao prédio que abrigou a família real durante o Império. É um dia triste  para todos os brasileiros."

O Ministério da Educação (MEC) lamentou em nota o incêndio. Segundo a nota divulgada pela pasta, o MEC "não medirá esforços para auxiliar" a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) "no que for necessário para a recuperação desse nosso patrimônio histórico". 

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), afirmou que “é um dia de profunda tristeza para  todos nós, brasileiros”. “Difícil expressar tamanha perda de construção e acervo de valores inestimáveis. Perdemos uma referência do país. Perdem o patrimônio histórico mundial, a cultura, a ciência, a educação. Perdem os brasileiros e o mundo. Manifesto a minha solidariedade aos funcionários da instituição”, expressou Pezão em nota.

Um incêndio de grandes proporções atinge o Museu Nacional na noite deste domingo. Especializado em história natural e mais antigo centro de ciência do País, o Museu Nacional completou 200 anos em junho em meio a uma situação de abandono.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 19h30 e rapidamente chegou ao local, mas até as 23 horas o fogo permanecia fora de controle. Dezenas de curiosos entravam na Quinta da Boa Vista para ver o incêndio. Funcionários choravam. Não havia registro de feridos. Grandes labaredas atingiam os dois andares, e estrondos eram ouvidos de tempos em tempos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.