PM DF
PM DF

Incêndio atinge hospital particular em Brasília

Pacientes tiveram que ser retirados, mas, de acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo já foi controlado e a informação inicial é de que não há feridos

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2020 | 11h37
Atualizado 04 de setembro de 2020 | 22h53

BRASÍLIA – Um incêndio atingiu na manhã deste sábado, 29, o Hospital Santa Luzia, uma das principais redes particulares de Brasília. Pacientes tiveram que ser retirados do local, mas, de acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo já foi controlado e os pacientes estão retornando aos quartos. Em nota, o hospital informou que ninguém ficou ferido.

O fogo causou uma grande fumaça preta, que pode ser vista em diversos pontos de Brasília. O hospital fica a 10 quilômetros do Palácio do Planalto, na Asa Sul. Os bombeiros receberam um chamado do hospital às 10h11 relatando uma explosão na cobertura do hospital. No local, há uma obra em andamento e os primeiros relatos foram de que o fogo começou em uma antena.

Foram enviadas 16 viaturas da corporação e seis da Polícia Militar e o fogo foi controlado pouco antes das 11 horas. De acordo com a assessoria dos bombeiros, os pacientes foram retirados por causa da fumaça. Eles aguardaram o combate ao incêndio no estacionamento, em uma área aberta, e nenhum paciente chegou a ser transferido.

Em nota, o Hospital Santa Luzia informou que "houve um foco isolado de incêndio em um equipamento instalado no telhado da unidade" e que as chamas foram controladas rapidamente pela Brigada de Incêndio e pelo Corpo de Bombeiros.

O hospital disse que foi feita a evacuação preventiva dos pacientes, mas que eles já foram reacomodados e que não houve feridos.

Em visita à UFRJ, no Rio, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, solicitou informações sobre o incêndio para ficar ciente do que aconteceu.

Tudo o que sabemos sobre:
incêndioBrasília [DF]hospital

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.