Incêndio na Refinaria de Manguinhos está controlado, diz bombeiros 

Fogo atingiu a área de descarga e recebimento de matéria-prima da refinaria; equipes dos bombeiros permanecem no local e agora atuam no rescaldo

Ana Paula Niederauer e Renata Batista, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2018 | 14h27
Atualizado 17 de dezembro de 2018 | 17h27

 Um incêndio de grandes proporções atingiu a área de descarga e recebimento de matéria-prima da Refinaria de Manguinhos (Refit), zona norte do Rio, na tarde desta segunda-feira, 17. Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo está controlado e não houve vítimas ou relatos de feridos no local. 

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o fogo começou por volta de 14 horas em um caminhão que descarregava produtos. As chamas se alastraram e atingiram outros caminhões de combustíveis que estavam estacionados na empresa. Pelo menos seis caminhões-tanque pegaram fogo, conforme informou um motorista, que não quis se identificar, que estava próximo ao local do acidente, na área de carga de derivados. 

Bombeiros de dez quartéis foram acionados para combater as chamas e para evitar que o fogo se alastrasse para regiões de maior risco, como as áreas de armazenagem e de produção. As equipes dos bombeiros permanecem no local e agora atuam no rescaldo. 

O motorista Nilson Altamiranda, que deixou agora a refinaria, confirmou ao Estado que o incêndio começou após a explosão de um caminhão que descarregava nafta e se alastrou por outros cinco caminhões. Segundo ele, mais de 30 veículos foram retirados do local e a expectativa é que a área fique fora de operação pelas próximas semanas.  

Por volta das 15h30, familiares de funcionários da Refinaria de Manguinhos começaram a chegar ao local em busca de informações. De acordo com Amalia Cuchinelli, o irmão, Tiago Barbosa Silva, trabalha na área elétrica e costuma se comunicar com a família no horário do almoço. Após os apelos da família, ele veio até a portaria, mas não deu outras informações. 

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, o trânsito tem retenção, no sentido Centro, entre Manguinhos e o bairro do Caju.   

Por causa do incêndio, a pista lateral da Avenida Brasil chegou a ficar interditada, na altura da Linha Amarela, sentido Fundão, mas já foi liberada. Moradores da comunidade do Arará, que fica ao lado da refinaria, tiveram de deixar as casas após as explosões.  

Na entrada da refinaria, os seguranças estão pedindo que os caminhões-tanques deixem o local. Pelo menos, três caminhões com cargas de petróleo já deixaram o local, embora os motoristas tenham declarado não ter para onde levar a carga. 

 

Em nota, a Refinaria de Manguinhos confirmou que o incêndio foi controlado e que abrirá sindicância interna para apurar todas as causas que levaram a esse incidente. De acordo com o texto, em razão da rápida ação da brigada de combate a incêndio da Refinaria, o fogo ficou limitado à região onde se encontravam os caminhões e que não havia outro procedimento a ser adotado a não ser permitir que todo o produto que existia nos caminhões se exaurisse através das chamas. No texto, a Refit pede desculpas ao transtorno causado e disse que segue firme em seu compromisso com a comunidade fluminense.

Criada em 1954, a Refinaria de Manguinhos mudou recentemente de nome para "Refit". Em seu site na Internet, a companhia se define como uma refinaria de pequeno porte que passa por um processo de modernização. Atualmente tem capacidade para refinar cerca de 15 mil barris de petróleo por dia. 

De acordo com o Centro de Operações Do Rio, os motoristas devem usar a saída da Linha Vermelha.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.