Incêndio destrói danceteria durante show pirotécnico

Um show em que o artista finge engolir fogo deu início, pouco antes das 2 horas da madrugada deste sábado, a um incêndio que destruiu a danceteria Space, na Rua Lourenço Marques, na Vila Olímpia, região badalada da capital paulista. Dezenove guarnições do Corpo de Bombeiros foram encaminhadas ao local. Algumas pessoas sofreram intoxicação pela fumaça, mas não houve mortos nem feridos em estado grave. Toda a área foi interditada.A casa estava lotada, quando subiram a uma plataforma quatro dançarinas e um go-go boy para fazer seu show. O artista, com uma tocha acesa na mão, colocou um líquido na boca e soprou para o alto. Ele estava muito próximo do teto, feito de material inflamável. As chamas atingiram o teto e se espalharam rapidamente. Houve corre-corre e pânico."Eu vi o fogo pegar no forro e acho que se alastrou por dentro, pois começou a pingar material derretido e fogo de vários pontos. O go-go boy não se deu conta e ia soprar novamente, mas mandaram parar", conta o auxiliar de escritório Weverton Gomes de Souza, de 18 anos, que estava bem na frente com sua câmera e fotografou tudo. "A brigada de incêndio da casa veio com extintor, mas não deu conta de apagar. De repente, uma parte do teto caiu", prossegue Weverton, acrescentando que havia cerca de 800 pessoas naquela área, em que o forte é a música eletrônica. "Vendo o material derretido pingando e cair parte do teto, a multidão começou a correr, berrar e atropelar tudo e todos. Abriram à força as portas de emergência. Havia muita gente tossindo e gritando." O auxiliar de escritório acha que a brigada de incêndio demorou a agir, por isso não deu conta de impedir que o fogo se alastrasse. "Sorte que o outro ambiente, onde tocam black music, não estava aberto. Lá só tem uma porta que serve de entrada e saída. Aí sim a tragédia seria grande", disse.A apresentação dos dançarinos é uma das principais atrações da casa noturna. "Para esquentar ainda mais a sua noite temos Go go dancers em altas performances a noite toda", diz o texto de apresentação no site da danceteria na internet.TragédiasIncêndios em casas noturnas, locais que costumam reunir grande número de pessoas em espaços limitados e, muitas vezes, sem rotas de fuga, já causaram grandes tragédias. Em Buenos Aires, 194 pessoas morrem em 30 de dezembro de 2004 quando a casa noturna Cromañon pegou fogo após um rojão ser lançado dentro do local. Na hora do fogo, as saídas de emergência estavam trancadas para evitar que pessoas sem ingresso entrassem na discoteca durante a apresentação do grupo de rock Callejeros. O episódio custou o cargo do prefeito de Bueno Aires, cassado em março deste ano em meio ao julgamento que avaliava sua responsabilidade no episódio. Segundo a acusação, a prefeitura foi omissa e permitiu a corrupção de fiscais responsáveis por controles e inspeções de casas noturnas da capital argentina. Nos Estados Unidos, 100 pessoas morreram em Rhode Island em 20 de fevereiro de 2003, quando um dispositivo pirotécnico usado na apresentação de uma banda de rock espalhou fogo pela casa noturna West Warwick. A maioria das vítimas morreu sufocada pela fumaça ou pisoteada na tentativa de sair pela porta da frente. Em maio deste ano, o empresário responsável pelo show foi condenado a quatro anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.