Incêndio destrói parte de centro médico em Salvador

Destruído, local deixará de atender 700 pessoas diariamente; não há previsão para retorno do atendimento

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2009 | 14h23

Um incêndio destruiu parte das instalações do Centro de Atenção à Saúde Prof. José Maria de Magalhães Netto (CAS), em Salvador, no início da manhã desta sexta-feira, 19, e vai deixar cerca de 700 pessoas sem atendimento por dia na cidade. O fogo começou por volta das 5h30 e só foi controlado pelo Corpo de Bombeiros após três horas e meia.

 

Cerca de 20% das pessoas atendidas no centro médico viajam do interior baiano para a capital depois de agendar consultas ou outros procedimentos com até três meses de antecedência. O fogo atingiu as alas do Centro de Referência de Atenção à Saúde do Idoso (Creasi) - onde o incêndio teria começado -, do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) e do Centro Estadual de Prevenção e Reabilitação de Deficiências (Cepred). Não havia pessoas dentro da unidade quando as chamas foram iniciadas. Os bombeiros suspeitam que um curto-circuito tenha sido o responsável pelo fogo.

 

No prédio, ainda funcionam órgãos administrativos da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), como os setores de Vigilância Sanitária e Epidemiológica e a 1ª Diretoria Regional de Saúde (Dires), além de setores da Secretaria da Administração (Saeb), como a Junta Médica do Estado da Bahia e a Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv).

 

Segundo a Sesab, os serviços que funcionam na unidade estão suspensos e não há previsão para que voltem à normalidade. A partir do dia 29, os usuários terão à disposição uma central de informações (71 3115-8341), para que sejam direcionados. Quem tinha atendimento agendado para os próximos dias vai precisar remarcar o serviço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.