Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Incêndio em depósito de combustíveis deixa um morto em Duque de Caxias, no Rio

Moradores dos quarteirões vizinhos foram retirados de suas casas como medida de prevenção

23 Maio 2013 | 12h17

Atualizada às 16h30.

RIO - Um funcionário da distribuidora de combustíveis e lubrificantes Petrogold morreu durante o incêndio de grandes proporções que atinge um depósito da empresa em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na tarde desta quinta-feira, 23. Por enquanto, o funcionário não foi identificado. Não há informações sobre feridos.

Segundo a empresa, havia cerca de dez funcionários na empresa quando o incêndio começou, por volta das 12h30. Bombeiros de pelo menos seis quarteis foram deslocados para combater o fogo. O depósito fica próximo à Rodovia Rio-Teresópolis (BR-116 Norte), mas em área residencial. Casas e veículos na vizinhança também foram atingidos.

O subsecretário de Defesa Civil do Rio de Janeiro, coronel Jerri Pires, informou que os moradores dos quarteirões vizinhos ao depósito de combustíveis foram retirados de suas casas como medida de prevenção, pois há risco de explosões. Bombeiros de pelo menos seis quartéis foram deslocados para combater o fogo.

As chamas, que destruíram os tanques de armazenamento de combustíveis, puderam ser vistas a quilômetros de distância. O depósito fica próximo à Rodovia Rio-Teresópolis (BR-116 Norte).

"Existem tanques que não se romperam, há risco de rompimento e de piorar a situação. O trabalho tem que ser feito com muito cuidado", afirmou o coronel Jerri Pires em entrevista ao RJTV, da Rede Globo. O fogo ainda não foi contido e se espalha além dos limites do depósito, destruindo construções em volta. Atingiu também postes de eletricidade. Segundo o subsecretário, uma escola próxima ao local do incêndio também foi esvaziada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.