Incêndio em favela deixa 14 feridos em SP

Um incêndio atingiu hoje cerca de200 barracos e deixou 14 feridos na Favela Zaki Narchi, zonanorte de São Paulo. O fogo começou por volta das 16 horas e,segundo moradores, um curto-circuito em um dos barracos teriadado início ao fogo.Foram deslocados 26 veículos e 120 homens do Corpo deBombeiros. Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros do Estadode São Paulo, Wagner Ferrari, até as 18 horas, 500 mil litros deágua tinham sido usados para conter as chamas. A avenida foiinterditada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).Os moradores estavam próximos de alguns pertences queconseguiram salvar. Cintia Maria dos Santos, grávida de 9 meses,só conseguiu salvar as roupas do bebê e uma televisão. "Jásabíamos que mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer."Segundo ela, quinta-feira passada foi feita uma reunião entre osmoradores e o Corpo de Bombeiros.O subprefeito de Santana-Tucuruvi, Élvio Nicolau,confirmou a informação. "Estávamos montando uma brigada deincêndio, que começaria a ser treinada na primeira semana dejaneiro, mas não deu tempo." Ele disse também que já havia trêsescolas disponíveis para abrigar os moradores. Nicolau falousobre um convênio que a Prefeitura estaria fazendo com aCompanhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU).A diretora de Habitação da região norte, Ana CristinaVellardi, confirmou que existem 12 áreas sendo estudadas para aconstrução de moradias. "Segundo dados do Programa Saúde daFamília, existem 606 famílias na favela. Entraremos com oterreno e a CDHU fará as casas."Plástico - Um incêndio atingiu hoje a indústria deembalagens plásticas Bofema, no bairro de Socorro, zona sul dacapital. O fogo começou em uma impressora e foi controlado logo- primeiro pela brigada de incêndio da fábrica e, posteriormente pelo Corpo de Bombeiros. Duas pessoas foram socorridas. Umadelas inalou fumaça e a outra foi ferida por uma placa.Os moradores da rua onde fica a empresa ficaramassustados com a grande quantidade de gás GLP estocada no local."Houve três explosões. Fazia dez minutos que um caminhão tinhaabastecidos os tanques de gás. Achamos que ia explodir tudo",disse Wendy Pegler, que mora na casa ao lado da empresa.Segundo o capitão Correa Leite, que comandou a ação,foram deslocados 11 carros e cerca de 30 homens. "Tivemosinformações de que a empresa mantinha gás e solvente." O localfoi interditado para perícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.