Incêndio em loja assusta São Paulo

TVs a cabo noticiam fato como um novo acidente aéreo na capital paulista e repercutem até na mídia internacional

Marcelo Godoy, Camilla Rigi e Sérgio Durán, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2008 | 00h00

Um incêndio numa loja de colchões em Moema, zona sul de São Paulo - que deixou duas pessoas feridas e atrapalhou o trânsito -, acabou ganhando outra dimensão na tarde de ontem. Pouco depois das 17 horas, as primeiras imagens transmitidas por emissoras de TV a cabo vinham acompanhadas de uma informação que reavivou as piores lembranças dos paulistanos: um avião teria se chocado contra um prédio."Nós interrompemos a transmissão da CPI dos Cartões Corporativos para mostrarmos imagens ao vivo de São Paulo. Acaba de chegar a informação de que um avião da empresa aérea Pantanal caiu em cima de um prédio comercial na zona sul de São Paulo", informou, às 17h17, a emissora de TV a cabo Globo News. Na seqüência, a BandNews (às 17h18) e a Record News (às 17h19) também relataram o caso da mesma forma. A Central Globo de Comunicação informou que "naquele momento, bombeiros e Infraero não tinham informações sobre o ocorrido" .A notícia assustou os paulistanos pouco mais de dez meses depois do maior acidente aéreo da história do País. A informação incorreta das TVs foi reproduzida em todos os principais sites jornalísticos do País. O portal Estadão.com.br, do Grupo Estado, chegou a colocá-la no ar, corrigindo-se em seguida. TEMORA possibilidade de uma nova tragédia aérea fez a comitiva do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava na capital, ligar para a Aeronáutica, cobrando informações. Alertado por um assessor, o deputado federal Antonio Carlos Pannunzio (PSDB) chegou a informar os colegas sobre a queda do avião durante a sessão oficial da CPI dos Cartões Corporativos. Só após desmentidos oficiais da Secretaria de Segurança Pública, do Serviço Regional de Proteção ao Vôo, da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Pantanal, as emissoras começaram a registrar, corretamente, que se tratava de um incêndio. A Aeronáutica afirma não ter sido procurada de imediato para confirmar o acidente, apenas para explicá-lo - como se o ocorrido fosse verdade.A Reuters e a AFP, duas das principais agências de notícias do mundo, enviaram alerta de urgência sobre a suposta queda de avião. Também com base em informações atribuídas à Globo, a Rádio Buenos Aires noticiou a tragédia. O pânico em São Paulo só não foi maior porque as emissoras abertas de TV esperaram a confirmação dos fatos para divulgar o incêndio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Novembro Azul: entenda a campanha de prevenção do câncer de próstata
  • DPVAT: o que é e como funciona o seguro obrigatório?
  • Yuval Harari: “Algoritmos entendem você melhor do que você mesmo se entende”

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.