Incêndio em prédio pára Avenida Paulista

Um incêndio no topo de um prédio parou a Avenida Paulista no início da tarde. As chamas tomaram a cobertura do Edifício Eluma, no número 1.209, emfrente à Fiesp. De acordo com o coronel Edson Gonçalves, comandante do Corpo de Bombeiros da capital, o motivo do incêndio foi uma imprudência: quatro técnicos faziam reparos natubulação do ar-condicionado do prédio sem o acompanhamento de um brigadista. O responsável pela tarefa, segundo o comandante, foi almoçar no momento em que o fogo começou.Os bombeiros suspeitam que a solda tenha respingado numa fiação de fibra ótica, que é inflamável. Os técnicos desceram às pressas - deixando as chamas se espalharem. Todas as pessoas que trabalhavam no local tiveram dedescer até a calçada da Paulista. Na semana passada, havia ocorrido a simulação de incêndio, que é feita todo ano no edifício.Quando o alarme soou, alguns funcionários chegaram a pensar que se tratava de outro ensaio. Demoraram para descer. A relações-públicas Melissa Machado, que trabalha num escritóriode advocacia no segundo andar, teve de ser convencida pela secretária Luciana Gates a deixar sua mesa.Não houve tumulto na saída do prédio. Todos desceram pela escada e as chamas foram controladas em dez minutos. O trânsito na avenida, porém, ficou complicado. Uma faixa daPaulista teve de ser interditada por cerca de uma hora para que os bombeiros trabalhassem nos rescaldos.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2003 | 21h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.