Incêndio em SP é confundido com queda de avião

Repercussão internacional do incêndio de grandes proporções em Moema foi instantânea

da Redação, com Agências internacionais

20 de maio de 2008 | 18h28

O incêndio em uma loja de colchões em Moema, na zona sul de São Paulo, causou confusão e pânico nesta terça-feira, 20, quando a emissora de TV a cabo Globonews noticiou erroneamente que as chamas teriam sido causadas pela queda de um avião da empresa regional Pantanal. A repercussão internacional do incêndio foi instantânea. A notícia errada repercutiu em vários sites noticiosos de todo o mundo, inclusive no estadao.com.br.   Veja também: Incêndio atinge prédio comercial e deixa dois feridos em SP   Entre os sites que chegaram a noticiar foi o do periódico argentino La Nación. A matéria foi chamada em sua homepage momentos depois de a notícia ter se espalhado no País. Inicialmente, o site noticiou a queda de uma avião e, logo depois, atualizou a história, informando que se tratava, na verdade, de um incêndio que atingiu as instalações da fábrica de colchões.   O incêndio também repercutiu na seção internacional do jornal eletrônico espanhol El País, que deu destaque em sua página inicial para a notícia "Pantanal nega que um de seus aviões tenha caído em São Paulo". O texto frisa que o incêndio aconteceu em uma área comercial nas imediações do Aeroporto de Congonhas. O site do periódico argentino Clarín já começa falando que as primeiras informações eram de que um avião tinha caído em São Paulo. Logo depois, o periódico esclarecia que na verdade era um incêndio em um centro comercial da capital paulista.   Causas do incêndio   As primeiras suspeitas eram de que o incêndio teria sido causado por uma explosão de um botijão de gás. A Infraero e a companhia aérea negaram a queda de uma aeronave. "Nossa torre não confirmou nada, nenhuma companhia aérea confirmou, e o aeroporto opera normalmente", disse uma assessora de imprensa da Infraero no aeroporto de Congonhas, também na zona sul.   O Corpo de Bombeiros informou que o incêndio, que começou pouco depois das 17 horas, deixou dois feridos. Segundo o Corpo de Bombeiros, 13 viaturas foram enviadas ao local, com o objetivo de impedir que as chamas atingissem outros edifícios. Segundo o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, o piloto de um avião da Pantanal que estava pousando no aeroporto de Congonhas avistou a fumaça e avisou a torre que havia um incêndio nas imediações. Isso é um procedimento padrão para alertar outros pilotos sobre possíveis riscos, por comprometer a visibilidade.   Em julho de 2007, o acidente com um avião da TAM, em Congonhas, causou a morte de 199 pessoas. Em setembro de 2006, outro acidente de avião, envolvendo um Boeing da Gol e um jato Legacy deixou 154 mortos.   Texto alterado às 22h05 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
acidente aéreoincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.