Incêndio mata seis presos no Rio Grande do Sul

Seis presidiários morreram nesta segunda-feira em Júlio de Castilhos, no interior do Rio Grande do Sul, durante um incêndio que destruiu alojamento onde passavam a noite. Eles cumpriam pena em regime semi-aberto na penitenciária regional do município. Outros sete detentos conseguiram sair. O diretor da presídio, Luiz Fernando Dias Portela, sofreu queimaduras de segundo grau no rosto e no tórax, foi internado no hospital e passa bem. A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) suspeita que a causa do incêndio tenha sido uma briga entre os prisioneiros.Durante todo o dia, familiares dos presidiários ficaram diante da penitenciária à espera do nome das vítimas. A relação foi divulgada com os nomes de Tony Sobrera Soares, José Adriano Vargas Batista, Silvio Roberto Rodrigues de Vargas, Antônio Carlos Pedroso da Silva, Edelmar dos Santos e Eres Carvalho Júnior, sem indicar a idade e as penas de cada um.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.