Incêndio não afetou estrutura da igreja, dizem bombeiros

Um incêndio na madrugada de hoje destruiu parte da Igreja Nossa Senhora das Mercês, construída em estilo barroco no final do século 18 e localizada no centro histórico de Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte. O fogo destruiu o altar de madeira, três imagens, um crucifixo, adornos, e a mesa do templo, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Parte do telhado ficou queimado e cedeu. As chamas atingiram também o forro da nave. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio não afetou a estrutura da igreja. Segundo testemunhas, o fogo teve início por volta das 5h. Os moradores foram os primeiros a detectar o incêndio. Eles arrombaram a porta da igreja e conseguiram salvar cinco imagens sacras. Os bombeiros chegaram ao local cerca de 20 minutos depois. Quarenta homens da corporação de Sabará e da capital mineira trabalharam para conter as chamas, que foram totalmente controladas às 6h. O fogo destruiu as imagens de Nossa Senhora das Mercês, de São Pedro Nolasco e de São Raimundo Pena Forte, todas feitas em madeira no século 18. Peritos da Polícia Civil iniciaram as investigações sobre as causas do incêndio. Uma vistoria feita em outubro do ano passado pela corporação, após um curto-circuito, havia condenado a rede elétrica da igreja. O comandante do 4º pelotão do Corpo de Bombeiros, subtenente Marcelo Oscar de Queiroz, disse que a inspeção detectou que a igreja não possuía um projeto de prevenção contra incêndios, que faltavam extintores e que a situação da parte elétrica era "precária". Segundo ele, a corporação não foi chamada para uma nova vistoria após uma reforma na rede elétrica feita pela Prefeitura local. O padre Nilson Moreira, pároco de Nossa Senhora das Mercês, disse que, devido aos problemas, chegou a fechar a igreja por cerca de dois meses, mas ela foi reaberta no início do ano por pressão da comunidade. Moreira afirmou que encaminhou um projeto de reforma ao Iphan, mas ainda não teve resposta. Nenhum representante do instituto foi encontrado ontem para comentar o assunto. O prefeito de Sabará, Wander Borges (PSB), admitiu que falta segurança a "todas" igrejas históricas da cidade e o acervo sacro do município está em "perigo". Moradores levantaram a suspeita de incêndio criminoso. Há 13 dias, numa ação de vandalismo, imagens e peças da Igreja de Nosso Senhor do Bom Jesus, construída no século 19, também em Sabará, foram destruídas. ComoçãoO incêndio comoveu a população local e foi lamentado na missa de Corpus Christi, celebrada nas ruas de Sabará. Durante a celebração, que começou com uma hora de atraso, o padre Luís Fernando Nascimento disse que pessoas "sorriam, fanaticamente" enquanto a igreja das Mercês pegava fogo. Ele sugeriu depois que membros de "uma igreja evangélica" estariam por trás dos episódios em Sabará. A perícia da Polícia Civil, porém, descartou, a princípio, a tese de incêndio criminoso. Mas o laudo só deverá ser divulgado em aproximadamente 30 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.