Indenização no trecho leste custará R$ 600 mi

As diretrizes do traçado do trecho leste do Rodoanel serão entregues ao Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) na próxima semana para iniciar processo de licenciamento ambiental. O custo estimado da obra é de R$ 3 bilhões. Cerca de R$ 600 milhões serão empregados no pagamento de desapropriações e compensações ambientais, segundo o secretário estadual dos Transportes, Mauro Arce. "O cadastramento dos imóveis vai começar nos próximos dias", disse Arce, sem destacar a quantidade de desapropriações, principalmente no trecho que passará por vários bairros de Suzano e Poá, na Grande São Paulo.Estão previstos pelo menos dois túneis, um de 900 metros no Parque da Gruta Santa Luzia, onde fica a nascente do Rio Tamanduateí, em Mauá. A Gruta foi criada em 1975 e é uma área especial de interesse ambiental. O paisagismo foi criado por Burle Marx. Em Ribeirão Pires haverá outro túnel, com 100 metros, que evitará que as vias expressas cruzem com rua interna do parque industrial da CBC.O trecho leste terá cerca de 41 quilômetros e ligará o ramal sul às Rodovias Ayrton Senna e Dutra. Terá início na Avenida Papa João XXIII, em Mauá, cruzará as cidades de Ribeirão Pires, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Arujá e Itaquaquecetuba. O prazo da obra é de três anos, com início em 2009.De acordo com Arce, ainda não foi definido se o Estado fará a obra e depois haverá licitação para escolher uma concessionária que administrará as pistas. "O ideal seria fazer uma concessão e o próprio concessionário construísse a obra, sob supervisão da Dersa", disse. O projeto prevê apenas acessos na SP-066, Rodovia Henrique Eroles, conhecida como Estrada Velha São Paulo-Rio, no km 35 da Ayrton Senna e no km 204 da Via Dutra.Carlos Aranha, responsável pelo projeto, disse que na conexão com o trecho sul, em Mauá, as pistas seguirão em direção a Ribeirão Pires, passando ao lado do Parque da Gruta Santa Luzia. Depois passará paralelo à adutora Rio Claro da Sabesp. Nesse ponto, as pistas estarão mais próximas da bacia do Rio Guaió. "O traçado fugirá da várzea do rio, para que não seja removido solo. Também evitará a Estrada dos Fernandes, onde há produção agrícola", explicou.Na chegada a Suzano, terá início uma sucessão de impactos em áreas urbanas, prolongando-se até Itaquaquecetuba e Poá. Haverá a interseção com a SP-066. Depois, as pistas vão margear o Parque da Várzea do Rio Tietê, pelo lado esquerdo. O cruzamento com a Rodovia Ayrton Senna foi definido na altura do km 35. O final do trecho leste está projetado para Arujá, na interseção com a Via Dutra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.