Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Indicação política é a principal forma de nomeação de gestores de escolas no Brasil

Levantamento do IBGE divulgado nesta quarta-feira, 26, também mostra que só 12 Estados têm plano estadual de educação

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

26 Agosto 2015 | 10h00

RIO - Indicação política é a principal forma de nomeação de gestores de escolas no Brasil, mostra a Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic) e Municipais (Munic), que o IBGE divulga nesta quarta-feira, 26: em 74,4% dos municípios, os diretores foram nomeados dessa forma. O levantamento, feito entre julho de 2014 e março de 2015 nas 27 unidades da federação e 5570 municípios, revela também que 12 estados não possuíam Plano Estadual de Educação; nos 14 que tinham, os planos eram anteriores a 2014, ou seja, já tinham passado da validade de dez anos.

A pesquisa do IBGE concluiu que "os municípios brasileiros vêm avançando em uma série de aspectos da política educacional: consolidação de um arcabouço legal, existência de estrutura administrativa especializada, qualificação dos gestores e efetivação do princípio constitucional da gestão democrática do ensino público - ainda que restem deficiências significativas, como expressa a predominância do método da indicação política para nomeação de diretores."

A publicação afirma ainda que a elaboração de planos municipais e estaduais para o setor é "um dos principais desafios para o setor".

Mais conteúdo sobre:
IBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.