Índio se recusa a soprar bafômetro e paga multa

Parado em blitz no Leblon, ex-deputado não fez o teste porque 'tinha tomado uma taça de vinho no almoço'; ele responderá a processo administrativo

Tiago Rogero, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2011 | 00h00

O ex-deputado Índio da Costa, que assumirá o comando regional do futuro Partido Social Democrático (PSD), se recusou a fazer o teste do bafômetro e teve a carteira nacional de habilitação (CNH) apreendida na quarta-feira à noite em uma blitz da Operação Lei Seca, no Leblon, zona sul da capital fluminense.

Segundo o governo do Estado, Índio da Costa, que concorreu como vice na chapa de José Serra (PSDB) à Presidência do Brasil, em 2010, só foi liberado depois de apresentar um motorista habilitado "em condições de dirigir".

Ao Estado, Índio contou que foi abordado às 23h e garantiu que havia apenas tomado uma taça de vinho, no almoço.

"Sei lá quanto (tempo) fica o vinho no sangue, preferi não assoprar. Me sentia muito bem, mas não quis arriscar. A Lei Seca é um espetáculo, todo mundo muito sério", disse, referindo-se aos agentes que o abordaram.

A Hilux que dirigia foi parada pelos fiscais na avenida General San Martin, esquina com Bartolomeu Mitre, no Leblon.

O veículo estava com a documentação em dia e foi liberado. Ainda de acordo com o governo, Índio terá de pagar multa de R$ 957,70 e responderá a processo administrativo no Detran-RJ. A carteira de habilitação ficará retida por cinco dias.

Famosos. Na terça-feira, o técnico da Inter de Milão e ex-jogador Leonardo Nascimento de Araújo também teve a carteira apreendida depois de se negar a fazer o este do bafômetro, em uma blitz da Lei Seca em Niterói, na região metropolitana do Rio.

Em abril, o senador e ex-governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), se recusou a fazer o teste e apresentou a CNH vencida em blitz no Leblon.

Além dos R$ 957,70, Aécio Neves foi multado em R$ 191,54 pelo documento irregular. Ele chamou um amigo para dirigir o veículo e foi liberado. A assessoria de imprensa do senador tucano informou na época que ele não sabia que o prazo da habilitação havia expirado, pois dirige somente aos finais de semana.

O veículo que Aécio dirigia na ocasião, uma Land Rover, era de propriedade da rádio Arco Íris, que tem o ex-governador como um dos sócios. / COLABOROU SÉRGIO TORRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.